Filmes que brincam com o espaço-tempo – Parte 3


Desde que o cinema é cinema, filmes de diferentes gêneros têm brincado com o tempo e o espaço para criar suas narrativas – seja em um romance em que o protagonista viaja no tempo para conhecer sua esposa ou em uma ficção científica que fala sobre o futuro da humanidade. Pensando nisso, nós criamos uma lista de filmes que brincam com o espaço-tempo para que nós, amantes desse sub-gênero, compartilhemos indicações para assistirmos no nosso tempo livre.

Enquanto a primeira parte da lista foi uma colaboração de vários membros do Minha Visão do Cinema (leia aqui) e a segunda foi especialmente para os apaixonados por um romance com viagem no tempo (leia aqui), a terceira e última parte do nosso especial contará com os demais filmes que abordam o tema. A maioria deles são muito conhecidos, metade sendo parte do universo da Marvel – ou quase –, mas todos têm uma coisa em comum: você precisa assisti-los ao menos uma vez na vida. Sem mais delongas, vamos aos filmes.


Projeto Almanaque



Direção: Dean Israelite

Ano: 2015

Sinopse: Um grupo de adolescentes descobre os planos e projetos secretos para construir uma máquina do tempo. Eles decidem usá-la para solucionar problemas do passado e obter grandes benefícios.

Embora seja um filme um tanto quanto simples, ele brinca bastante com o questionamento de o que você faria se tivesse uma máquina do tempo. Que coisas você arrumaria no seu passado e como isso mexeria no seu futuro? Nem sempre as soluções que nós buscamos são as que encontramos por mais que a gente tente.

Contra o Tempo



Direção: Duncan Jones

Ano: 2011

Sinopse: Um soldado assume a mente de um homem nos últimos oito minutos de sua vida, antes da explosão de um trem. Sua missão é voltar diversas vezes ao mesmo momento e descobrir quem plantou a bomba e como impedir a tragédia.

Esse filme é um dos meus preferidos com Jake Gyllenhaal no papel principal. Por mais que seja uma ficção científica, o romance dá um toque a mais ao filme, e tudo soa muito desesperador. Observamos o soldado voltar diversas vezes para o mesmo momento na tentativa de dar um final diferente para a situação.


Efeito Borboleta



Direção: Eric Bress e J. Mackye Gruber

Ano: 2004

Sinopse: O estudante universitário Evan Treborn está aflito com dores de cabeça tão fortes que frequentemente desmaia. Enquanto está inconsciente, Evan pode viajar de volta no tempo para momentos de dificuldades na infância. Ele também pode alterar o passado para os amigos, como Kayleigh, que foi molestada pelo pai. Porém ao mudar o passado, ele pode alterar o presente, o que leva Evan a se encontrar em um pesadelo de realidades alternativas, incluindo uma onde ele está preso.

Lembro que, quando assisti a Efeito Borboleta pela primeira vez, era bem mais nova e fiquei chocada. O filme mexeu com a minha cabeça de uma forma que eu não havia experimentado antes, e ver as diferentes maneiras como uma ou outra escolha pode mudar a sua vida foi enlouquecedor. É um filme que eu definitivamente recomendo, uma das maiores realizações de Ashton Kutcher no cinema – senão a maior.

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban



Direção: Alfonso Cuarón

Ano: 2004

Sinopse: O terceiro ano de Harry Potter em Hogwarts começa mal quando ele descobre que o assassino Sirius Black escapou da prisão de Azkaban e está empenhado em matá-lo. Enquanto o gato de Hermione atormenta o rato doente de Ron, um bando de dementadores são enviados para proteger a escola de Sirius Black. Um professor misterioso ajuda Harry a aprender a se defender.

Para muitos, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban é a melhor adaptação da série de livros de J. K. Rowling – mas, como ainda não li todos, não posso opinar sobre isso. Por mais que o livro seja muito melhor explicado, visto que são mídias diferentes, o filme consegue trazer a melhor essência da obra original e Cuarón teve muito sucesso em sua realização. É, de fato, um filme a ser visto e revisto.

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido



Direção: Bryan Singer

Ano: 2014

Sinopse: Convencido de que os mutantes são uma ameaça para a humanidade, o Dr. Bolivar Trask desenvolve os Sentinelas, gigantescos robôs, que os perseguem impiedosamente. Os poucos sobreviventes têm que viver escondidos. Entre eles está Wolverine, que viaja no tempo, rumo aos anos 1970, a fim de impedir que este futuro trágico para os mutantes se torne realidade.

Tão claro quanto o dia é o fato de que X-Men: Dias de um Futuro Esquecido é o filme dos X-Men que mais deu certo. Quando o governo capturou Mística, no passado, descobriram em seu DNA como fazer armas capazes de destruir qualquer mutante. Anos depois, essas "máquinas" chamadas Sentinelas acabaram com boa parte dos mutantes existentes. Sendo assim, o professor Xavier e Magneto se unem com Kitty Pride na missão de enviar alguém para o passado e evitar que os mutantes sejam exterminados, e esse alguém que será enviado é ninguém mais, ninguém menos do que Logan. Sempre que me lembro desse filme, a cena que se passa em minha mente é a de Mercúrio – com o poder de correr rapidamente, vemos em seu ponto de vista tudo o que ele faz em poucos segundos, e é como se o mundo estivesse passando em câmera lenta; uma cena incrível –, mas, revendo trechos do filme, percebo que ele é ainda melhor do que parece ser, principalmente para os que amam tanto a história dos mutantes.

Doutor Estranho



Direção: Scott Derrickson

Ano: 2016

Sinopse: Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) leva uma vida bem sucedida como neurocirurgião. Sua vida muda completamente quando sofre um acidente de carro e fica com as mãos debilitadas. Devido a falhas da medicina tradicional, ele parte para um lugar inesperado em busca de cura e esperança, um misterioso enclave chamado Kamar-Taj, localizado em Katmandu. Lá descobre que o local não é apenas um centro medicinal, mas também a linha de frente contra forças malignas místicas que desejam destruir nossa realidade. Ele passa a treinar e adquire poderes mágicos, mas precisa decidir se vai voltar para sua vida comum ou defender o mundo.

Enquanto a maioria dos filmes abordam questões de viagem no tempo, Doutor Estranho embarca na questão de multiversos de uma forma muito interessante. Demorei muito para ver esse filme de tanto falarem dele, mas, na época que assisti, passei a achar que era um dos melhores filmes que falavam sobre esse tema. Com um elenco de peso e um bom desenvolvimento das personagens, por ser de certa forma mais "maduro", acredito que é o filme da Marvel que mais funciona com um público não muito fã de histórias de super-heróis.

Vingadores: Ultimato



Direção: Joe Russo e Anthony Russo

Ano: 2019

Sinopse: Em Vingadores: Ultimato, após Thanos eliminar metade das criaturas vivas, os Vingadores precisam lidar com a dor da perda de amigos e seus entes queridos. Com Tony Stark (Robert Downey Jr.) vagando perdido no espaço sem água nem comida, Steve Rogers (Chris Evans) e Natasha Romanov (Scarlett Johansson) precisam liderar a resistência contra o titã louco.

Famoso por suas três longas horas de duração e seu final de partir os corações dos fãs da Marvel, Vingadores: Ultimato se tornou o filme dos Vingadores preferido de muita gente. Com um plot twist logo no início, quando assisti ao filme pela primeira vez, não sabia bem o que esperar, mas conforme nos encaminhamos para uma história de viagem no tempo envolvendo os acontecimentos de Homem-Formiga e a Vespa, entendi que as coisas ficariam um pouquinho mais complicadas – e ficaram mesmo. Me surpreendeu o quão bem conseguiram trabalhar com as questões de viagem no tempo nesse filme, ligando vários acontecimentos de filmes anteriores da MCU (Marvel Cinematic Universe, em tradução livre Universo Cinematográfico da Marvel). Aos que ainda não assistiram, um aviso: se vocês não virem os outros filmes antes, podem ficar perdidos, e embora seja difícil maratonar os filmes ou se ligar no que está acontecendo, esse filme vale a pena assistir.

Homem-Aranha no Aranhaverso



Direção: Peter Ramsey, Bob Persichetti e Rodney Rothman

Ano: 2018

Sinopse: Em Homem-Aranha no Aranhaverso, Miles Morales é um jovem negro do Brooklyn que se tornou o Homem-Aranha inspirado no legado de Peter Parker, já falecido. Entretanto, ao visitar o túmulo de seu ídolo em uma noite chuvosa, ele é surpreendido com a presença do próprio Peter, vestindo o traje do herói aracnídeo sob um sobretudo. A surpresa fica ainda maior quando Miles descobre que ele veio de uma dimensão paralela, assim como outras versões do Homem-Aranha.

Homem-Aranha no Aranhaverso foi um filme que a princípio eu fiquei com medo de ver devido ao hype, mas, quando assisti, percebi que tudo o que as pessoas falavam era realmente verdade. Engraçado na medida certa, com seus toques dramáticos e alguns plot twists, esse filme é capaz de entreter pessoas de diferentes gêneros e faixas etárias. Além de contar com uma trilha sonora incrível, o gráfico é maravilhoso e lembra muito a leitura de HQs. Arrisco dizer que, de todos os filmes que o Homem-Aranha já teve, esse está no top 3.

E aí, gostou do especial? Caso tenha alguma indicação que não está nessa lista, não se esqueça de deixar nos comentários!

Karoline Melo

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário