Filmes que brincam com o espaço-tempo – Parte 2


Desde que o cinema é cinema, filmes de diferentes gêneros têm brincado com o tempo e o espaço para criar suas narrativas – seja em um romance em que o protagonista viaja no tempo para conhecer sua esposa ou em uma ficção científica que fala sobre o futuro da humanidade. Pensando nisso, nós criamos uma lista de filmes que brincam com o espaço-tempo para que nós, amantes desse sub-gênero, compartilhemos indicações para assistirmos no nosso tempo livre.


A lista está dividida em três partes e a primeira você pode ler clicando aqui. Lá, os colaboradores do Minha Visão do Cinema se juntaram para contar para vocês sobre alguns filmes de que nós gostamos e que falam desde viagens no tempo a multiversos. Nesta, trago a vocês uma lista especial apenas para os românticos: as obras aqui mencionadas envolvem, sim, viagem no tempo, mas também aquecem nossos corações com muito amor.

Leia aqui a nossa matéria sobre 12 filmes e séries sobre viagem no tempo que explodirão sua mente!

Em Algum Lugar do Passado



Lançado em 1980 e dirigido por Jeannot Szwarc, Em Algum Lugar do Passado conta a história de um jovem escritor que, no dia da estreia de sua peça de teatro, encontra uma senhora desconhecida que pede para ele voltar para ela. Algum tempo depois, ele decide tirar um tempo para descansar a mente em um hotel, e descobre que, no passado, aquela senhora foi uma bela atriz de teatro. Desesperado, o escritor tenta voltar para o passado a fim de encontrar a moça por quem – de repente – se apaixonou. Por mais que não seja um dos meus romances preferidos com viagem no tempo, ele é bastante interessante, e ainda temos como ator principal Christopher Reeve, nosso eterno Superman.


Kate & Leopold




Meu amor por romances com viagem no tempo volta e meia encontra uma decepção, e Kate & Leopold se enquadra nessa categoria. Um nobre inglês do século XIX, vivido por Hugh Jackman, atravessa as barreiras do tempo sem querer e acaba chegando ao século XXI. Aqui, ele encontra uma mulher, personagem de Meg Ryan, que faz sua vida mudar. O filme ainda conta com a participação de Viola Davis. Apesar do elenco de peso, enquanto assistia ao filme, só conseguia pensar: "Puxa, vocês aceitaram fazer isso?" Mas não deve ser tão ruim quanto é na minha memória, certo? Bom, eu espero que não. A única coisa que sei é que o final foi diferente do que eu esperava, então temos aqui um ponto positivo.


Te Amarei Para Sempre



Junto com Questão de Tempo, esse filme está no pódio dos meus preferidos do gênero. O que eles têm em comum? Amor, um homem que viaja no tempo e Rachel McAdams. Baseado no livro A Mulher do Viajante no Tempo, de Audrey Niffenegger, Te Amarei Para Sempre conta a história de Henry, um homem que viaja no tempo descontroladamente – e toda vez que ele viaja para algum lugar, acorda sem roupas. Uma complicação que só, digo para vocês. Mas não se engane, o filme não é só isso. Ele também é recheado de drama e de romance, perfeito para aqueles que, assim como eu, amam filmes de chorar.

Antes que Termine o Dia



Foi com Antes que Termine o Dia que eu aprendi que, para se criar uma história com viagem no tempo, não é preciso ser cientista e nem criar algo mirabolante que exploda os miolos das pessoas. A história é bem simples: Ian e Samantha são um casal já há alguns anos, mas, certo dia, tudo dá errado, Ian é um babaca e eles acabam terminando. Quando Samantha entra no táxi para voltar para casa, porém, se envolve em um acidente e acaba morrendo. No dia seguinte, Ian acorda se sentindo culpado com tudo o que aconteceu, mas tem um pequeno detalhe: Samantha está viva, do seu lado, e o dia anterior está se repetindo exatamente da mesma forma. O que ele poderia mudar para fazer aquele dia não ter um final tão trágico quanto o anterior? E o principal de tudo: como ele consertaria seus erros do passado e provaria para Samantha o quanto ele realmente a amava? Acho que me empolguei um pouco, mas só de lembrar desse filme quero colocá-lo num potinho e ouvir If Only, da Jennifer Love Hewitt, o dia inteiro.

Meia-Noite em Paris




Arrisco dizer que Meia-Noite em Paris é o filme mais popular de Woody Allen. Eu certamente não saberia dizer, porque relutei muito para vê-lo devido às diversas acusações feitas sobre o diretor, todavia acabei assistindo de tanto que me falavam de sua grandiosidade. Eu, particularmente, não acho que é o filme mais incrível do mundo, mas ele é, sim, muito bom. Owen Wilson é Gil Pender, um escritor que está noivo de Inez, interpretada por ninguém menos que ela, a famosa mulher que tem uma tara por homens que viajam no tempo: Rachel McAdams! Mas, diferente dos outros filmes, nesse a personagem dela é horrível. Desavenças a parte, o caso é que, nas férias deles em Paris, Gil sai sozinho para explorar a cidade à noite e acaba encontrando ícones da arte, como F. Scott Fitzgerald, Pablo Picasso, Ernest Hemingway e inúmeros outros. Para mim, essa imaginação de como seria a interação com essas pessoas é o que dá ao filme tanta graça – no sentido gracioso e de divertido também. Por mais que não seja o melhor filme de todos os tempos, vale a pena assistir ao menos uma vez, principalmente se você é um amante da arte.

Your Name



Agora, se tem um filme que deveria ser obrigatório todo mundo assistir, esse filme é Your Name. Eu, que nem era apaixonada por animes nessa época, assisti pela recomendação da minha melhor amiga e tudo o que eu fiz foi chorar. Deus sabe o quanto essa história me marcou e me inspira até hoje. Tudo é incrível! O desenho, as cores escolhidas, a trama, o desenvolvimento das personagens por si só e em conjunto, a montagem... Tudo funciona perfeitamente bem em seu conjunto, não tem nem o que falar. Vou optar até mesmo por não contar a história para não acabar falando demais e entregando algum spoiler. Apenas assista a esse filme sem saber de nada mesmo. Te garanto que você não vai se arrepender.

De Repente 30



Clássico da Sessão da Tarde, De Repente 30 é o queridinho de muitos quando falamos de comédia romântica. Com Jennifer Garner no papel principal, temos aqui a história de Jenna Rink, uma garota que, em seu aniversário de 13 anos, deseja se tornar adulta, e no dia seguinte, seus desejos são concedidos. Agora, aos 30 anos, a garota precisa se adaptar ao seu estilo de vida e encarar a consequência das atitudes que tomou nesses últimos anos, principalmente em relação ao seu crush – vivido no futuro por Mark Ruffalo –, mesmo que ela não saiba exatamente o que aconteceu. É um filme simples e que traz algumas reflexões, bom para quando queremos ver algo mais divertido.

Quando nos Conhecemos



Lembro-me de quando esse filme estreou na Netflix, isso porque eu assisti no primeiro dia. Minha empolgação era tanta que eu acordei de manhã e já fui correndo pro sofá, coisa que geralmente eu não faço, e pode apostar que, para além da viagem no tempo e do romance, Adam DeVine (A Escolha Perfeita), Alexandra Daddario (Percy Jackson e o Ladrão de Raios) e Robbie Amell (D.U.F.F.) estavam entre os motivos. Quando nos Conhecemos nos traz Noah, um jovem que é apaixonado por Avery desde que eles se conheceram, mas eles acabaram por se tornar apenas amigos, isso até que ela anuncia que vai se casar com Ethan. A partir daí, todos os sonhos e esperanças de Noah vão por água abaixo. Mas ele descobre uma forma de voltar no tempo, quando eles se conheceram, e mudar tudo para que eles fiquem juntos no final, só que isso é um pouco mais difícil do que ele imagina. O filme vai e volta entre o dia do anúncio do casamento e o dia em que eles se conheceram, e pode apostar que, nisso, vai ter muita pagação de mico do Noah tentando ser o cara ideal. Mas o final, para mim, é a cereja do bolo! Apesar de ser um clichê, seu fim é bastante realista e eu não estava esperando por ele até ele ser jogado na minha cara. É outra recomendação que eu com certeza deixo para vocês.

Espero que tenha gostado da seleção. Caso tenha alguma indicação que não tá nessa lista, não se esqueça de deixar nos comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário