Filmes do Tarantino Rankeados pela Equipe

Resultado de imagem para quentin tarantino


Para celebrar a chegada de Era Um Vez em... Hollywood aos cinemas, a equipe do Minha Visão do Cinema fez uma série de posts fazendo a crítica dos até então oito filmes do cineasta Quentin Tarantino. Como parte deste especial, alguns dos nossos colaboradores ranquearam os filmes do diretor. 

Confira agora a opinião da equipe sobre eles: 

8ª Posição: Jackie Brown (1997)

Resultado de imagem para jackie brown

"Tarantino conduz de maneira já característica o longa, através de diálogos pensados para funcionarem dentro da unidade do filme, trazendo-o já uma identidade. O roteiro é funcional e conduz a trama de maneira eficiente. Porém por vezes parece que a não-originalidade é causa inibidora de um motor criativo mais eficiente do diretor. Algumas soluções não são muito bem elaboradas, assim como certos diálogos não funcionam, influenciando na relação entre o espectador e o filme." (Leia a crítica completa de Gabriel Zupiroli aqui)

7ª Posição: À Prova de Morte (2007)

Resultado de imagem para a prova de morte

"Este filme atinge dois grupos específicos de assistência: amantes de filmes nostálgicos (que aqui seriam os filmes dos anos 70) e amantes do cinema de Tarantino. O cara tem um gênero próprio, um universo todo interligado; por isso é considerado por muitos, um gênio."

6ª Posição: Os Oito Odiados (2015)

Resultado de imagem para jennifer jason leigh hateful 8

"O ritmo lento em um filme de quase três horas é o único ponto negativo, que poderá afastar alguns e impede que o longa ganhe uma nota máxima. Fora isso, o brilhante roteiro, os personagens terrivelmente cativantes e a grande brincadeira que Tarantino nos traz, tornam o filme simplesmente fantástico." (Leia a crítica completa de Leonardo Costa aqui)

5ª Posição: Cães de Aluguel (1992)

Resultado de imagem para cães de aluguel

"É fácil compreender, após se assistir Cães de Aluguel, o motivo de o filme ter sido revolucionário no circuito industrial norte-americano. Há toda uma espécie de "desconstrução apropriadora", quase um jogo dialético onde ao passo em que se destrói um sistema já estabelecido, realiza-se isso através da apropriação do que estabelece este sistema." (Leia a crítica completa de Gabriel Zupiroli aqui)

4ª Posição: Django Livre (2013)

Resultado de imagem para django livre

"Ele passa desde melodias de solo com violão e gaita, passando por rock e chegando até rap e hip hop. Genial! Destaque para como ele consegue casar em uma mesma cinematografia um belo visual, diálogos sarcásticos, uma morte brutal e uma música contemporânea que inacreditavelmente casa com o cenário de época em questão." (Leia a crítica completa de Leonardo Costa aqui)

3ª Posição: Kill Bill (2003/2004)

Resultado de imagem para Kill Bill pai mei

"Nas questões técnicas é um filme perfeito, seu roteiro é executado com uma maestria que só o próprio diretor podia fazer. Não dá para pensar "Kill Bill seria melhor se...", é um cinema de autor em seu maior apuro." (Leia minha crítica completa aqui)

2ª Posição: Pulp Fiction - Tempo de Violência (1994)

Resultado de imagem para pulp fiction

"Tarantino dirige o filme com classe e mão firme. Sua câmera estática, ou sua câmera nervosa; quaisquer dos seus métodos são eficazes e transmitem boa direção. Apesar de ter cerca de 2 horas e 30 minutos de duração, com longos diálogos, o filme, ironicamente, possui um ritmo alucinante. Estilizado e eletrizante da primeira à última cena, mesmo que com pouca ação ou suspense, consegue ser um dos filmes do "Taranta" que melhor tem ritmo. Isso é possível graças à cirúrgica edição e montagem. O cara sabe o que faz." (Leia a crítica completa de Leonardo Costa aqui)

1ª Posição: Bastardos Inglórios (2009)

Resultado de imagem para bastardos inglórios shoshanna

"No geral, esse é o padrão de composição da direção do filme. Takes em um mesmo ambiente, aberto ou fechado, dando uma sensação imersiva de espacialidade, preenchida pelos personagens que ali habitam, de forma a não nos cansarmos do que estamos vendo ou do lugar onde todo aquela parte da história está acontecendo. Claro, sempre há cenas de pura violência, sangue, tiros e explosões, afinal, estamos falando de um filme do Tarantino, mas em Bastardos inglórios há um equilíbrio bem estipulado entre as duas forças cinematográficas do diretor: o sangue e os diálogos." (Leia a crítica completa do Igor Motta aqui



O que acharam da lista? Monte a sua nos comentários e fala aí o que acha dos filmes do mestre Tarantino! 

Rodrigo Zanateli ;)

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário