Crítica: Mineiros (2020, de Amanda Dias)


A cidade de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, tem no nome um de seus maiores atributos. Na além vista, se pode observar parte da Serra do Curral em diversas regiões do município. O “lado oculto da lua” - ou a parte não vista desta serra - esconde o problema que degrada o estado desde sua fundação enquanto tal. 

Nas beiradas das cidades, nos distritos de municípios e nas encostas dos montes, reside a tragédia anunciada: os anos de exploração de minério trouxeram manchas impossíveis de serem removidas. 

 

Em Mineiros, Amanda Dias dialoga com o trauma. A câmera que sobrevoa Belo Horizonte passa a investigar a casca sensível que paira sobre a temática. As cenas que se seguem são, em sua maioria, estáticas e sem som verbal. As escolhas dos frames dão ao espectador o sentido primário do documentário: a testemunha. 

 

A sequência de imagens é sábia e irônica. Um destaque curioso, mas não único, pode ser percebido na cena em que um outdoor da Vale chama o slogan: “Isso que nos trouxe até aqui ainda vai nos levar muito além”. Ao lado, uma placa de rota de fuga em caso de rompimento de outra barragem. 

 


Há sempre uma sensação de vazio e de abandono. Nos takes, a natureza encontra a ação temível de seu revés em diversos momentos. Nos locais assolados pela ação direta do rompimento das barragens, se vê a ação destrutiva do barro, capaz de levar paredes inteiras e comprimir móveis pesados. 

 

Um contraponto à imagem tenebrosa são os cantos dos pássaros e a quietude da natureza que quase parece não se incomodar com a história recente – como em algumas imagens de Chernobyl, onde natureza e tragédia coabitam o cenário. Como ação indireta dos efeitos dos rompimentos de Mariana e de Brumadinho, locais onde a iminência de um novo acidente fantasmagorizam a narrativa calada. 

 

O silêncio-testemunho ainda perdura até que a voz em off de um entrevistado proclama seu direito de ser morador; atributo retirado pelas empresas de mineração que interditaram casas como possíveis zonas de risco sem notavelmente compreender a dimensão cultural, histórica e até mesmo antropológica da relação social das pessoas que habitavam o local. 

 

Mineiros integra a 24Mostra de Cinema de Tiradentes e é uma das produções que relatam as consequências da sequência de crimes ambientais ocorridas em Minas Gerais. 



Título Original: Mineiros

Direção: Amanda Dias

Duração: 23 minutos

Elenco: Amarair Paulo de Morais
 
Sinopse: Minas é o principal estado minerador do país. A mineração está na raiz, na origem, na economia e no nome de Minas Gerais. O sangue dos mineiros está na mineração.




Confira também a programação da Mostra de Cinema de Tiradentes e nos conte qual filme quer ver! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário