Crítica: How To With John Wilson - 1ª Temporada (2020, de John Wilson)

 

"A experiência que passa de pessoa a pessoa é a fonte a que recorrem todos os narradores." 
 
— Walter Benjamin


A tarefa mais difícil na construção de um enredo é provavelmente encontrar o foco narrativo, o caminho que aquela narrativa irá percorrer. Uma história pode ser contada de muitas formas, e o narrador precisa ter uma ideia específica de qual direção aquela trama irá tomar. E John Wilson se prova um contador de histórias extremamente hábil ao conduzir a narrativa de How To With John Wilson, com muita sensibilidade e apreço pelos objetos explorados por sua câmera. Ele investiga seus tópicos de forma complexa, mas também sem nunca perder a objetividade.

Cada episódio da série documental tem seu tema explorado de maneira ampla e aprofundada, mas não se perde em suas divagações existenciais. A série encontra um equilíbrio perfeito entre explorar inúmeras situações e não se desprender de onde quer chegar. Assim, constrói um belo quadro com inúmeras peças diferentes que se encaixam perfeitamente e presenteia o público com uma obra inesperadamente inovadora.

A proposta da comédia documental da HBO é investigar temáticas cotidianas e extrair delas significados mais profundos do que, a princípio, se pensaria, e a série alcança esse objetivo perfeitamente. A cada cena, Wilson utiliza com habilidade sua câmera para capturar situações que, inicialmente, parecem insignificantes e consegue observar nelas questionamentos quase filosóficos. Ele sabe captar com sagacidade momentos extremamente humanos e facilmente relacionáveis, levando o telespectador por uma jornada absolutamente enriquecedora.

A comédia faz uso dos aspectos documentários inteligentemente, conduzindo seus episódios de uma maneira extremamente intimista. Cada plano idealizado por John Wilson convida o público a conhecer melhor aquele pedacinho específico de Nova Iorque que outras produções nem cogitariam mostrar: o lado sujo, banal e inconveniente que passam facilmente despercebidos. Wilson se esforça para criar um retrato realista, mas também cativante da "Grande Maçã".

Quando a linguagem de uma obra é documental, temos o costume de esquecer que aquele conteúdo que nos é apresentado também consiste em uma narrativa, com começo, meio e fim. E por mais que um produto documental tenha como objetivo representar a realidade, o que entendemos como realidade é facilmente moldável. Então, o que o diretor nos está expondo é a sua versão dos fatos, a sua realidade particular. E a construção do que é real em How To With John Wilson é feita com autenticidade, entregando ao público tramas com  conteúdos triviais, mas que se revelam surpreendentemente interessantes. 

Não importa se o tópico é sobre a expansão da indústria do andaime ou sobre a melhor receita de risoto, Wilson encontra formas inusitadas de tornar aquela história familiar, e, assim, cria uma conexão com o público de uma maneira que outras obras talvez não conseguiriam utilizando temáticas tão banais. Esse talvez seja o maior trunfo das habilidades narrativas de John Wilson, sua capacidade de enxergar beleza e relevância nas atividades e objetos mais esquecíveis do cotidiano. 

A série consegue manter um tom otimista em tempos de crise sem nenhum pingo de cinismo em seu discurso. Mesmo quando navega por questionamentos existenciais, obrigando o público a contestar certas verdades absolutas, Wilson sempre termina suas divagações em uma nota positiva. Ele é capaz de achar o lado mais belo (ou menos feio) de tudo, e faz isso sem perder seu senso crítico, sempre expondo o que considera necessário ser corrigido no meio social. 

How To With John Wilson é uma aula de narrativa documental, desafiando os limites do que um documentário é capaz de ser. Os episódios são tão sabiamente construídos que é impossível não encerrar cada um deles com uma sensação da descoberta de algo completamente novo. A maneira como ele introduz ao telespectador um determinado tema nos força a repensar vários aspectos da vida, e ele faz esses questionamentos sem nenhuma petulância. Tudo parece orgânico através das lentes do diretor. John Wilson é daqueles cineastas que sabem instigar o que de há de mais humano em cada um de nós.

Título Original: How To With John Wilson

Direção: John Wilson

Episódios: 6 episódios

Duração: 25-28 minutos.

Elenco:  John Wilson

Sinopse: How To With John Wilson explora o lado mais banal e cotidiano da metrópole nova-iorquina. 

Trailer:

Venham conferir mais uma incrível produção da HBO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário