Crítica: Tenet (2020, de Christopher Nolan)


Tenet, o filme tão aguardado de Chistopher Nolan finalmente chegou aos principais cinemas. Após inúmeras suposições e notícias que apenas aumentavam a curiosidade dos amantes do diretor, o filme realmente é tudo isso.

Para o público acostumado com Nolan criando filmes com roteiros mirabolantes, que dão um verdadeiro nó e que ao acabar, nunca sabemos se entendemos tudo, esse filme promete agradar. Comum estilo bem peculiar e em muitos aspectos parecido com A Origem ou Amnésia do diretor, Tenet traz novamente um desvio de realidade temporal e espacial que após ler algumas matérias por aí, é possível afirmar que nem mesmo os atores entenderam em que filme estavam atuando. 


Desde o anúncio da criação do filme Tenet, o mesmo já tem dado muito o que falar, com uma sinopse para lá de vaga e um trailer  que busca trazer a mesma sensação que temos do filme, a confusão e a curiosidade, se é que realmente entendemos alguma coisa.

Em entrevistas, Nolan afirmou que apesar de ele poder ter todas as respostas, o importante para ele transmitir ao público é a ambiguidade da situação, a liberdade de interpretações e as possibilidades infinitas de debates ao redor do filme.

Tenet contra a história de um agente, sem nome, interpretado por Jonh David Washington, protagonista de Infiltrado na Klan, que tem que lutar pela sobrevivência do mundo, armado apenas pela palavra Tenet.

Claramente isso não revela muito, o que podemos dizer é que se você imagina que o filme se trata de viagem no tempo, está errado, é muito mais complicado do que isso, o termo correto seria inversão temporal ou entropia, conceito que o próprio protagonista tem dificuldade de compreender no longa, mas é impossível dizer que Washington não realiza um bom papel, mesmo sem saber tudo sobre o filme em que está atuando.

Porém, não se assuste, como todo bom filme do Nolan, alguns aspectos prevalecem, entre eles as pequenas aulas sobre o universo do filme para situar um pouco o espectador, no caso de Tenet, as aulas são dadas pelo ator coadjuvante Robert Pattinson, que interpreta Neil, um agente estudante de física, que tem muito mais a esconder do que a revelar.

Pattinson desenvolve o papel com perfeição, de forma que ao sair do filme, é possível notar o desenvolvimento do ator na carreira do cinema, após nos surpreender com O Diabo de Cada Dia, estreia da Netflix deste ano, o ator provou sua facilidade em interpretar personagens tão distintos e com uma performance digna de respeito, que venha Batman...


Outro aspecto marcante de Nolan é sua tendência a trazer em seus filmes de ficção cientifica uma intensa dose de ação e efeitos especiais, em Tenet, isso novamente não fica de fora, em uma trama de luta pela sobrevivência da humanidade, o filme já nós insere na ação desde a primeira cena, para depois de nos apresentar o protagonista, dar uma perfeita inversão temporal no filme e em nossas mentes para nos situar no verdadeiro mundo de Tenet.

A ação por si só acaba por ditar grande parte do longa, feita com uma produção em mais de 7 países e com câmeras de IMAX em filme analógico de 70mm, é um verdadeiro show de efeitos especiais e lutas que muitas vezes devido às inversões temporais não conseguimos compreender, se isso foi uma dificuldade do diretor ou proposital, nunca saberemos, pois apesar disso, o filme nos prende do início ao final ao buscarmos compreender o que está acontecendo, é claro dizer que o terminamos com mais respostas do que no início, mas ao mesmo tempo, muitas incógnitas a serem debatidas no pós filme, afinal, se não fosse assim não seria um filme do Nolan e se eu entregar todas as respostas aqui, não haveria mais curiosidade em assisti-lo.

Além disso, a produção do filme não poupou gastos, além da imensa qualidade e quantidade de efeitos especiais e de atores renomados, uma das principais cenas de ação que já apareceram no trailer e que já deram muito o que falar, é a cena em que um avião comercial é explodido, fato que realmente aconteceu na gravação, sim, Nolan, explodiu um avião de verdade, haja verba para o filme.


Em alguns aspectos, o filme nos coloca sobre a visão de Washington, o protagonista, na medida que vamos compreendendo o mundo da trama junto com ele, porém, em outras, podemos ter a clara sensação que ele sabe mais do que supúnhamos, até por que, em meio a uma trama complexa, é impossível conseguir torcer para que o mocinho vença em lutas tão invertidas e tão complexas, que não conseguimos compreender com perfeição.

Além do gênero de ação e ficção científica, não podemos dizer que o filme nos trás aspectos de comédia ou romance, mas claramente nos trás lições de vida e perspectivas de Washington, seja lá qual for seu nome no filme, sobre a importância da vida, da família e do amor, aspecto que é evidenciado pela atriz coadjuvante Elizabeth Debicki, que interpreta Kat no filme. Seu papel nele no início é vago, mas por fim ela acaba por ocupar grande tempo de tela e ter um papel crucial na trama que muitas vezes nem os demais personagens conseguem entender porque, no final a lição que fica é, não subestime uma mãe, uma idosa ou um simples homem de negócios.


O que Nolan buscou trazer com esse filme, em minha humilde opinião, é um filme digno de debates e de ambiguidades sem resposta, um filme para novamente se repensar o presente, passado e futuro, e para se ter em alta conta e se lembrar de A Origem, pois agora, não estamos mais no mundo dos sonhos, estamos em nosso mundo, mas qual será o agora? O que o futuro nos espera? O que é Tenet? A explicação de sociedade consciente da inversão temporal seria suficiente?  Acho que o filme mal lançou e já merece uma continuação, ou apenas debates, aí é com você e com nosso queridinho Christopher Nolan.

Tenet está disponível hoje nos principais cinemas, e apesar da pandemia, de acordo com nossa espera para o lançamento do filme, o mesmo não será disponibilizado tão rápido nas demais plataformas, afinal, é um filme digno da telona.


Título Original: Tenet

Direção: Christopher Nolan 

Duração: 150 minutos

Elenco: John David WashingtonKenneth BranaghRobert Pattinson

Sinopse: Um agente da CIA conhecido como O Protagonista (John David Washington) é recrutado por uma organização misteriosa, chamada Tenet, para participar de uma missão de escala global. 

Trailer: 




Gostou da crítica? Deixe aqui seu like e seu comentário e vamos debater Tenet :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário