Crítica: La Frontera (2019, de David David)


La Frontera, filme colombiano dirigido por David David e vencedor do prêmio de Melhor Longa Estrangeiro no Festival de Cinema de Gramado 2020, é interessante de se analisar, pois pode ser dividido em 2 extremos distintos: o primeiro e melhor, um sensível retrato sobre as dores e sofrimentos de sua protagonista; já o segundo, um projeto apressado que procura ser mais complicado do que realmente é.

Diana é uma jovem grávida que vive de roubar viajantes na fronteira entre Colômbia e Venezuela. A proposta do filme é ir a fundo com essa personagem, sua vivência, acompanhar as dificuldades de sua existência, seja por ser mulher, indígena, pobre, ou qualquer outra de suas facetas. Ela já passou por muita coisa na vida e ainda tende a passar por mais outras, partindo desse ponto, é quando La Frontera funciona, embarcar na mente da jovem é duro e quanto mais a trama avança mais densa vai ficando a coisa, mesmo assim David David consegue retratar tudo de maneira íntima e sensitiva.    


Porém, apesar de ser perceptível o carinho que o diretor tem por Diana e sua história, ele aparenta não saber trabalhá-la bem de maneira constante, o filme parece ter medo de ser simplista e enche de coisa para se mostrar ser difícil ou complexo, se enrolando e tornando vários momentos em vago só por ser vago. Isso faz com que outros defeitos do longa realcem, como por exemplo, a história que após um começo interessante demora a engrenar, revelar seu propósito e, olhando por esse lado a própria conexão com a protagonista, que é fundamental para criar algum laço com o projeto e que demora a acontecer. Talvez se tivesse ido direto ao ponto, de nos fazer embarcar nos sentimentos de Diana, teria apresentado um resultado mais interessante.

A montagem e o trabalho de som são aspectos técnicos interessantes do longa, mesclando os sonhos e a ação com a calmaria aparente da trama; Daylin Vega Moreno ainda segura bem como a protagonista, mas mesmo com boa intensão, os deslizes que La Frontera comete são suficientes para não comprometer a obra como um todo, mas tornar o resultado final aquém do que realmente promete, com muito potencial e a sensação de que podia mais.



Título Original: La Frontera.

Direção: David David.

Duração: 1 hora, 29 minutos e 36 segundos.

Elenco: Daylin Vega Moreno, Sheila Monterola, Nelson Camayo, Alejandro Aguilar e Yull Núñez. 

Sinopse: Em meio a uma crise de fronteira entre Colômbia e Venezuela, uma jovem indígena vive com seu marido e seu irmão, roubando viajantes que seguem por trilhas, até que o destino a empurra para o limite de sua ilusão, fazendo-a se perder em sonhos misteriosos.

Trailer:


Confira aqui, no Minha Visão do Cinema, a crítica completa dos filmes presentes no Festival de Cinema de Gramado 2020!

Nenhum comentário:

Postar um comentário