Crítica: Umbrella Academy - 2ª temporada (2020, de Steve Blackman)


Habilidades especiais, conflitos familiares, problemáticas atuais e viagem no tempo são elementos encontrados em grande parte das produções seriadas em catálogo nos canais de streamingUmbrella Academy, no entanto, consegue agrupar todas as características. 

A segunda temporada já está disponível na Netflix e é baseada nas HQ’s escritas por Gerard Way (vocalista da banda My Chemical Romance) e ilustrada pelo brasileiro Gabriel Bá. Na trama, Sir Reginald Hargreeves, um renomado e milionário cientista, adota sete crianças que compartilham a data de nascimento e a capacidade de performar habilidades extraordinárias. O cientista tem a esperança de preparar uma equipe capaz de salvar o mundo de desastres premeditáveis. 

De Queen à Billie Eilish e Backstreet Boys, a música é inserida nas cenas de humor e de ação que se adequam de modo brilhante. O ponto alto de Umbrella Academy é a habilidade em traduzir, em filmagem, a dimensão de cores, de excentricidade e de humor presentes na HQ. A linha do tempo, ou as coisas que acontecem na Terra, como nós a conhecemos, é protegida por uma organização burocrática chamada “The Comission”, que rege o mundo como um caso de escritório. 



A segunda temporada tem início imediato após os acontecimentos da primeira, quando Cinco (Aidan Gallagher) usa sua habilidade de salto temporal para escapar do apocalipse causado por Vanya (Ellen Page) em 2019. Os personagens são enviados, em anos distintos, para a década de 1960.

Cinco é o último a chegar e, ao encontrar a terra prestes a ser destruída por um ataque nuclear, reagrupa a equipe para conseguir retornar à linha do tempo atual. Os primeiros episódios se arrastam ao repetir a premissa da primeira temporada: Vanya tem seus poderes suprimidos – por sua própria memória, dessa vez – e os outros estão reconstruindo suas vidas.


O início da temporada prioriza o desenvolvimento individual dos protagonistas ao paralelizar a realidade dos irmãos que foram enviados para Dallas, no Texas. Sem que se encontrassem, Luther (Tom Hopper) luta para um agiota, Diego (David Castañeda) é internado em um hospital psiquiátrico, Klaus (Robert Sheehan) inicia um culto comunitário, Vanya vive sem memória em uma fazenda e Allison (Emmy Raver-Lampman) se casa com um manifestante pelos direitos das pessoas de cor no sul dos Estados Unidos, marcado pela segregação racial. 

A violência policial utilizada para oprimir pessoas negras, seja em manifestações ou no cotidiano, é evidenciada desde o momento em que Allison é proibida de entrar em uma lanchonete. A luta por igualdade racial dá à série um de seus melhores momentos, quando os participantes do movimento antirracista se sentam, juntos, na lanchonete segregacionista. 


Vanya se apaixona por Sissy (Marin Ireland), mãe de Harlan (Justin Paul Kelly), que possui um tipo de transtorno mental, em um contexto em que a homossexualidade era tratada como uma doença e o recurso aos filhos autistas era a internação. A melhor adição para a série é, no entanto, Lila (Ritu Arya), que faz par romântico com Diego e, ao que parece, terá relevância na próxima temporada. 

Por fim, Umbrella Academy propõe uma temporada pop, com uma bela fotografia, figurino autêntico e com naturalidade nos movimentos de ação. Com todos os seus pontos positivos, certamente um deles irá te pegar!




Título Original: The Umbrella Academy

Direção: Steve Blackman

Episódios: 10

Duração: 60 minutos

Elenco: Ellen Page, Tom Hopper, Emmy Raver-Hampman, Robert Sheedan, Aidan Gallagher e David Castañeda.

Sinopse: 
“Cinco alertou a família (tantas vezes) que usar os poderes para escapar do apocalipse de Vanya em 2019 era arriscado. Ele tinha razão: o salto no tempo dispersou os irmãos no tempo, levando-os até Dallas, Texas. Mais de três anos se passaram. Estamos na década de 1960. Alguns ficaram presos no passado por anos, construíram vidas e seguiram em frente, certos de que são os únicos que sobreviveram. Cinco é o último a chegar, bem no meio de um dia do juízo nuclear, que — alerta de spoiler! — resulta de uma interrupção da linha do tempo do grupo. Agora, no entanto, a Umbrella Academy deve encontrar uma maneira de se reunir, descobrir o que causou o dia do juízo final, acabar com isso e retornar à linha do tempo atual para impedir outro apocalipse. Enquanto isso, eles são caçados por um trio de cruéis assassinos suecos.”

Trailer: 



Conte para a gente nos comentários o que você achou da nova temporada de Umbrella Academy!

Iago Rezende

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário