Crítica: Door Lock (2018, de Lee Kwon)


Em Door Lock, o diretor Lee Kwon investe numa adaptação original do filme espanhol Enquanto Você Dorme. Apesar de terem um plot principal semelhante, os dois filmes acontecem de forma muito diferente, uma vez que, aqui, o ponto de vista do longa-metragem se ancora no lado da vítima. – Neste ponto, é importante deixar uma observação pessoal; acredito que comparações não devem ser feitas no sentido de analisar qual das obras é melhor e, sim, quando estudadas, o observador deve pensar nas construções narrativas diferentes. Ambos os filmes trazem a originalidade de cada diretor.

Na trama, Kyung-min é uma mulher que vive num apartamento no estilo studio e que trabalha num emprego temporário em um banco. Ela começa a ter a sensação de que alguém está mexendo na tranca eletrônica da porta de entrada de seu apartamento - um método de tranca muito comum na Coreia do Sul é a eletrônica, na qual a entrada é protegida por uma senha de combinação de números. Não tarda para que as suspeitas de Kyung-min se confirmem, quando, numa madrugada, ela tem uma experiência amedrontadora ao alguém mexer na fechadura da porta incessantemente. 



A primeira reação da protagonista é procurar a polícia, mas ela é descredibilizada, já que não há provas e, segundo eles, poderia se tratar de alguém alcoolizado procurando seu apartamento. Tudo isso muda, quando um ocorre um assassinato dentro do apartamento - importante que eu não dê detalhes, para que não estrague a experiência fílmica. Nesse ponto, Kyung-min é tida como suspeita, mas logo liberada por falta de provas e pelas aparentes incongruências narrativas caso ela fosse a culpada. A partir daí, Kyung-min e sua grande amiga Hyo-joo decidem ir, por si mesmas, atrás do criminoso por trás de tudo isso.



O diretor escolhe não mostrar muito sangue ou elementos que vão para o lado gore. Ele dá apenas o necessário e deixa que a imaginação do espectador ligue os pontos e projete suas próprias expectativas sobre uma determinada situação. Um exemplo disso é a cena em que o criminoso agride uma de suas vítimas logo no início do filme: o espectador não vê o ato. Em vez disso, Lee Kwon opta por filmar a porta do apartamento com apenas o som do que acontece dentro. Além de evitar uma violência gráfica que, no caso desse suspense é desnecessária, – uma vez que o âmago do suspense, nesse filme, está ancorado na ameaça – também faz com o espectador projete seus medos num acontecimento horrendo como este – tornando a cena ainda mais potente em seu propósito.



O som é sempre importante em qualquer obra - seja o ruído ou o silêncio - mas, aqui, ele é ainda mais ativo. A trilha sonora do mestre Dalpalan, ajuda na construção do suspense no momento certo. Além disso, nas cenas em que vemos imagens de uma câmera de segurança  antecipando uma situação ameaçadora  um som de microfone mal conectado funciona como marcador sonoro. Esse ruído, que pode parecer um simples detalhe, na verdade, deixa o filme ainda mais rico, a partir do momento que ele cria uma identidade sonora para uma situação específica; no caso, um perigo iminente.



Por um lado, em Enquanto Você Dorme, o foco no psicológico do criminoso é maior. Já em Door Lock, apesar do motivo do antagonista ser revelado, não há grande ênfase nisso. Porém, é importante colocar que isso não faz o filme perder força, porque, aqui, não é de interesse do espectador saber os motivos do agressor. Em Door Lock, o foco é a vítima, o psicológico da uma mulher, que se vê atormentada por um stalker

O ritmo de revelação que a direção de Lee Kwon traz é excepcional. Isso é imprescindível, pois mantém o espectador ansioso para saber o que vem a seguir: "a ameaça está perto ou longe?"; "Kyung-min conseguirá se safar, como é de nosso desejo, ou ela será pega de surpresa pelo criminoso?". 

O suspense e o medo dessa situação cinematográfica é também o medo de muitas mulheres, que anseiam pelo dia em que poderão andar tranquilamente por onde forem. Aqui, a protagonista não consegue encontrar essa liberdade nem em seu próprio lar. Ao final, além de ótimo filme, também temos uma excelente reflexão sobre uma realidade que, infelizmente, continua ocorrendo.


Título Original: 도어락 (Doeorak)

Direção: Lee Kwon

Duração: 102 min

Elenco: Gong Hyo-jin, Lee Ga-sub, Kim Ye-won, Kim Sung-oh, Jo Bok-rae e outros.

Sinopse: Uma mulher mora sozinha em um apartamento, até que começa a ser atormentada por um estranho que sabe a senha para entrar em sua casa.


Trailer:

Não deixe de conferir! :)

Amanda Dionigi

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário