Crítica: Dançarina Imperfeita (2020, de Laura Terruso)





Desde os anos 90 a comédia romântica se tornou um estilo de grande popularidade, com a chegada da era do streaming esse tipo de filme ganhou mais uma plataforma e parece que sua popularização só aumentou, principalmente entre os adolescentes. Claro que a Netflix é uma das grandes influenciadoras nesse ramo, entre erros e acertos a plataforma consegue entregar grandes sucessos como Para Todos Garotos que Já Amei e Barraca do Beijo.

E ao que tudo indica Dançarina Imperfeita é sua mais nova aposta que deu muito certo, pelo menos com o público. Com um pano de fundo clichê sobre uma adolescente que está no último ano da escola e sonha em estudar numa faculdade de renome, o filme acompanha Quinn Ackerman (Sabrina Carpenter), uma estudante exemplar que nunca se arrisca.

Sabrina Carpenter como Quinn Ackerman
Sabrina Carpenter como Quinn Ackerman

Quando sua admissão na faculdade dos sonhos depende de sua performance em uma competição de dança, ela precisa se rebolar (literalmente) para juntar uma equipe, montar uma coreografia e ganhar o concurso.

Embalado por músicas pop atuais, o filme tem um ritmo muito bom e suas uma hora e meia parecem passar rápido, principalmente depois que Jordan Fisher aparece em cena como o dançarino Jake Taylor para contracenar com Sabrina, formando um casal com muita química. Fisher já apareceu em Para Todos Garotos que Já Amei 2, e tem grande potencial para se tornar o próximo Noah Centineo e aparecer em todas as comédias românticas da Netflix.

Além de Sabrina e Jordan, Liza Koshy e Keiynan Lonsdale completam esse elenco que possui muita dinâmica e conseguem carregar o filme com bastante energia. O figurino também é algo expressivo que merece ser notado, especialmente os que são usados pelas equipes de danças, com certeza eles passam uma mensagem sobre a atitude de cada um.

Sabrina Carpenter e Liza Koshy
Quinn Ackerman (Sabrina Carpenter) e Jake Taylor (Jordan Fisher)


O roteiro foi escrito por Alison Peck, uma roteirista nova que possui apenas dois filmes no currículo: UglyDolls e Dançarina Imperfeita. Nesse último, ela mostra que sabe lidar com formulas pré-estabelecidas, que quando bem trabalhadas e incrementadas podem gerar um resultado promissor. Laura Terruso é responsável pela direção e entrega um bom olhar sobre os personagens, mas desliza nas cenas de dança, que apresentam muitos cortes e no final parecem uma montagem de grandes momentos da coreografia.

Keiynan Lonsdale como Julliard Pembroke, líder do grupo Thunderbird

Apesar de terminar com um final bem comédia romântica e fechar os arcos apresentados, o sucesso do filme com o público pode muito bem convencer a Netflix de fazer uma sequência, e a gente sabe que ela adora basear suas produções com essas métricas. Entretanto, Dançarina Imperfeita funciona muito bem como um filme solo e contém todos os ingredientes necessários para uma boa romcom, que provavelmente será esquecida depois que o público partir para outra.


Título Original: Work It

Direção: Laura Terruso

Duração: 93 minutos

Elenco: Sabrina Carpenter, Jordan Fisher, Liza Koshy, Keiynan Lonsdale e outros.

Sinopse: Dançarina Imperfeita acompanha Quinn Ackerman (Sabrina Carpenter) que tem sua admissão na faculdade de seus sonhos dependendo de sua performance em uma competição de dança. Agora, ela precisa formar um grupo com os melhores dançarinos do esquadrão da escola e, principalmente, aprender a dançar.

TRAILER:



Você curte as comédias românticas da Netflix? Conta pra gente e nos acompanhe nas nossas redes sociais :)

Larissa Lago

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário