Perfeição em forma de série - A Equipe Comenta a 3ª Temporada de The Crown




É inegável que a Netflix chegou perto da excelência com a série, uma das mais caras da história e ao assistir é fácil perceber o porquê. Estamos acompanhando o reinado da Rainha Elizabeth II desde os primeiros dias após a morte de seu querido pai e a renúncia de seu tio, fato que até hoje é visto com repúdio por membros da realeza. Hoje faremos um A Equipe Comenta sobre a 3ª Temporada, confira o que cada um achou e não deixe de dar sua opinião!

Natália:

Temos acompanhado um pouco de tudo nesses longos anos em que a Rainha está no poder. De fato acredito que muitas coisas na histórias são fantasiosas ou que ao menos não ocorreram daquela forma em si, porem não deixa de ser instigante e curiosa a vida da realeza. 

Esse ano em especial, passamos a conhecer um jovem príncipe que, aparentemente, sempre viveu a sombra de sua mãe, e a série deixa isso bem claro. É nítido que a série tenta de todas as formas humanizar esses personagens que apenas imaginamos como seriam na vida real. Dor, traições, contradições são apenas a ponta do iceberg aqui. 

Claire Floyd com certeza deixou uma marca na série, sendo quase perfeita em sua atuação e após alguns anos Olivia Colman entra para uma nova época e nova fase e o elenco continua impecável, porém esse ano faltou algo. Gostei muito do arco do Príncipe Charles e inclusive temos a apresentação de uma jovem Camila (sim, essa mesma) o que me fez pensar no que mais a série irá tratar nas próximas temporadas, já que estamos entrando em assuntos bem delicados. 


Ao todo, diria que a série nos mostra cada vez mais o peso de carregar uma coroa e o fato dessas pessoas serem quase robotizadas ao cargo que exercem ou a imagem que devem passar. Como se seus sentimentos não fossem importantes uma vez que eles não seguem o protocolo. Causando no espectador uma sensação de pena e identificação.
 



Léo Costa:

Poderosa e maravilhosa, The Crown é literalmente a joia da coroa da Rainha Netflix. 


De início estranhamos o novo elenco, trocado devido o avanço no tempo na trama. Mas logo, a impecável série demonstra a que veio e entrega episódios fenomenais. A série é uma aula de roteiro, direção, de figurino, de trilha sonora, de composição da mise-en-scène, mas acima de tudo: uma aula de atuações, de deixar muito filme de Oscar com inveja. Olivia Colman, que recentemente ganhou Oscar de Melhor Atriz por A Favorita, encarna a Rainha Elizabeth II com força e sutilezas. Mas o interessante é que ao longo dos episódios, embora ela protagonize o todo, cada capítulo foca em alguns coadjuvantes específicos, e todos estão brilhantes em seus papéis. Cada nova situação que a família real se envolve, temos um show de atuações e de reflexões. Nunca foi tão interessante acompanhar os escândalos da alta sociedade.

Destaque para alguns episódios, como o que ocorre um desastre causado por descaso ambiental e trabalhista no País de Gales e como o povo cobra justiça pela morte de centenas de pessoas, a maioria crianças de uma escola soterrada (nesse momento a série lembrou um pouco a poderosa Chernobyl). Ou o episódio focado na sogra da Rainha, a Princesa da Grécia e Dinamarca, e como a idosa é alheia da realeza, focando na caridade como retribuição aos maus tratos que ela sofreu em hospícios, aqui a atuação de Jane Lapotaire é emocionante. Ou o episódio onde Phillip fica fascinado com a chegada do homem à Lua e conhece os astronautas, mas também como ele se sente impotente sendo apenas uma peça do teatro da realeza.


Neste terceiro ciclo, a série entra mais profundamente nos problemas que o peso da coroa traz. Por trás de cada postura fria e calculista, sentimos seres humanos presos à cargos, no olhar sentimos a frustração de muitos, que levam uma vida bem distinta daquilo que um dia sonharam. É o preço alto da monarquia, sem escolhas, sem privacidade e sem vida própria. E pelo jeito, a 4° temporada trará a Princesa Diana, ou seja, a maior tragédia da família está por vir. Se continuar com essa alta qualidade mostrada até então, The Crown se tornará uma das grandes séries da história.



Karine Mendes:

A terceira temporada de ​The Crown trouxe atores diferentes devido à passagem de tempo, mas manteve a qualidade pela qual a série é conhecida. A talentosa Olivia Colman, substituindo a ótima Claire Foy, fez um trabalho impecável como Rainha Elizabeth II. A cada gesto e olhar sabíamos como a personagem estava se sentindo, mesmo sem ela deixar isso claro por meio das palavras. Outra pessoa que surpreendeu foi Tobias Menzies como Príncipe Philip, arrisco até a dizer que se saiu melhor que Matt Smith. O papel lhe serviu como uma luva, tendo destaque no sétimo episódio da temporada, que aborda a chegada do homem à Lua, em que vemos uma performance cheia de sentimentos e verdade. Já Helena Bonham Carter como Princesa Margaret, apesar de ser uma atriz incrível, confesso que tive um pouco de dificuldade para vê-la no papel e apenas no último episódio que fui totalmente convencida, mas ainda não superou Vanessa Kirby.


O design de produção da série jamais decepciona, parece que tudo foi realmente filmado na época retratada, é excelente! O roteiro bem escrito retrata pontos que são importantes para cada figura, nos permitindo ver seus diferentes lados e nos conectar com cada um deles. Tudo isso sendo complementado pela fotografia que dá à época um tom melancólico, mas também otimista em certas partes. E a trilha sonora, tanto a parte instrumental, composta por Martin Phipps, quanto a que nos entrega músicas de David Bowie, The Kinks e Frank Sinatra, por exemplo, agradam e casam muito bem com as cenas. ​The Crown nos mostrou mais uma divina temporada, deixando curiosidade sobre como serão abordados os próximos passos da Família Real Britânica. 



Lucas:


Em seu terceiro ano, The Crown acerta em cheio e, apesar de transformar sua narrativa em episódica (antes costumava ser uma história mais linear a cada temporada), consegue continuar relevante e intensa. Além disso, a mudança de elenco não derrapa: Helena Bonham Carter e Olivia Coulman estão perfeitas em seus papéis. Roteiros afiados, design de produção perfeitos e atuações memoráveis marcam esta série que, a cada temporada, se consagra como uma das melhores de todo o catálogo da Netflix.



Nota Geral:


Título Original: The Crown

Direção: Benjamin Caron, Christian Schwochow, Jessica Hobbs, Samuel Donovan

Episódios: 10

Duração: 50 minutos aproximadamente

Elenco: Ben Daniels, Helena Bonham Carter, Josh O'Connor, Olivia Colman, Tobias Menzies, Emerald Fennel, Erin Doherty, Jason Watkins, Marion Bailey

Sinopse: A terceira temporada se iniciará em 1963, e mostrará acontecimentos como ascensão dos Beatles e a vitória da Inglaterra na Copa Mundial de 1966.


TRAILER:



Também gostou da série? 

Natália

Nada do que eu disser será verdade

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário