O mundo real é um parque sem graça em Westworld - 3ª Temporada (2020, de Jonathan Nolan e Lisa Joy)


A 3ª temporada de Westworld chegou, e com ela chega também um novo foco para a história. A série até então já possuía uma proposta muito bem estabelecida, quando pensávamos em Westworld, pensávamos em toda a questão da narrativa dos parques, os diálogos cabeçudos, grandes atuações e os inúmeros plot twist. Mesmo já desagradando alguns logo na primeira temporada, ou na segunda, onde essas características foram levadas a exaustão, Westworld já era bem resolvida consigo mesma e caminhava para uma conclusão também bem resolvida, mas não foi exatamente o que aconteceu. 

Mudança será uma palavra bastante repetida aqui, pois mudança é o que mais há nessa temporada da série, mudança no tom, de ambientação, de estrutura narrativa, de proposta, de personagens e de conflitos, são só algumas para começar. Não me entenda mal, mudança não significa algo ruim, mas Westworld parece não saber trabalhar com elas e acaba perdendo todo o charme e encanto que a série possuía. 

A começar pelo roteiro, essa temporada tem um grande tema em discussão, o livre-arbítrio. Ela trata desse tema trazendo Dolores e os outros anfitriões para o mundo real e, aproximando a nossa realidade com a dos parques e anfitriões da Delos, afinal as escolhas que fazemos, são realmente nossas, ou tem alguém puxando essa narrativa?


Essa aproximação entre humanos e robôs se dá principalmente no personagem Caleb Nichols, um dos novos personagens e que logo de cara já toma para si um papel central na trama, com a série já nos fazendo diversas indagações sobre quem é esse personagem e qual o papel dele em toda essa história, mas é ai que os problemas se iniciam.

A série constrói tanta expectativa a respeito de Caleb para nunca nos entregar realmente nada altura dessa expectativa, é ai que Westworld confunde simplicidade com ser bobo, Caleb é um personagem sem desenvolvimento, as coisas simplesmente acontecem sem com que peguemos empatia pelo personagem. Jogar o protagonismo assim da história em um personagem ainda sem carisma é um decisão muito ruim, nós simplesmente não nos importamos com Caleb, mesmo Aaron Paul fazendo um bom trabalho, com o pouco que o é oferecido. 

Na verdade esse último comentário praticamente define as atuações dessa temporada inteira, os atores até entregam bem, mas o texto é muito pobre e não vemos se repetir as grandes atuações da 1ª temporada. Maeve, Bernard, O Homem de Preto, todos esses personagens que nos fizeram gostar de Westworld são jogados para escanteio, você realmente termina a temporada e se pergunta o que esses personagens estavam fazendo ali, suas motivações são fracas, eles são mal trabalhados e são jogados de um lado para o outro da história sem fazer nada. A série deixa de trabalhar esses personagens para trazer novos conflitos não tão interessantes, por exemplo, precisávamos mesmo de uma nova megacorporação na história? A Delos já não tinha questões o bastante para desenvolver?



A Dolores é outro problema, a personagem não chega a ser subaproveitada igual aos outros, mas é uma personagem confusa, suas motivações não são bem resolvidas e muita coisa de sua trama é sem motivo, Dolores não possui a complexidade que vimos nas temporadas passadas, ver ela aqui, é o mesmo que ver Daenerys no final de Game of Thrones, mas mesmo mal trabalhados, os personagens e os atores que acabam levando a história para frente, que até possui uns bons momentos. A exceção nisso tudo é a Charlotte Hale da Tessa Thompson, que acaba sendo a melhor personagem da temporada, pois é a única que possui um desenvolvimento em tela e, a série consegue criar ainda um mistério sobre quem está na cabeça desse anfitrião. 

No fim, mesmo a temporada sendo mais curta, é pura enrolação, mas se o roteiro decepciona, Westworld consegue compensar em outros quesitos. O design de produção da série continua com o nível lá em cima, aspectos técnicos como fotografia e efeitos estão muito bons e Westworld não deixa a desejar para nenhum filme de ficção-científica nesse quesito, mas o grande destaque aqui vai para a criação de mundo.



A série constrói muito bem essa ambientação do que seria a terra no ano de 2058, os cenários são riquíssimos e essa talvez seja a temporada em que o figurino mais se destaca, até por contrastar com as anteriores. E esse mundo futurista que a série cria é bonito, sofisticado e bem convidativo, assim como suas tecnologias avançadas são legais e nos fazem embarcar nesse universo novo que a série está trazendo. Toda a ambientação que a obra traz é realmente de se tirar o chapéu, assim como a trilha sonora que continua um espetáculo à parte.

Outro ponto a se destacar são as cenas de ação, aqui se investe muito nisso, na verdade dá para se dizer que Westworld se tornou uma série de ação por si só. Não entrarei nos méritos se essa mudança é boa ou ruim, isso vai depender mais de quem assiste, mas é fato que as cenas de ação acabam sendo o grande mérito dessa temporada, com um grande valor de entretenimento, elas que acabam empolgando e carregando a série em certos momentos. 


Como dito à cima, a 3ª temporada de Westworld não é necessariamente uma temporada ruim, mas sim de mudança e, já renovada para a quarta temporada, promete mais mudanças ainda no que vem a seguir, cabe a você decidir o quão favorável essas mudanças são para a série, mas sem dúvidas nenhuma essa temporada não soube construir um novo mundo e trabalhar o novo foco da trama que é a ação e ao mesmo tempo, desenvolver um bom roteiro e desenvolver seus personagens. O que fica no final é que Westworld nos convida a conhecer um novo parque, o mundo real, mas esse não tem nem metade da graça dos parques anteriores. A, e que falta faz o Dr. Ford de Anthony Hopkins...



Título Original: Westworld 

Direção: Jonathan Nolan e Lisa Joy
 
Episódios: 8
 
Duração: 52 minutos.
 
Elenco: Evan Rachel Wood, Thandie Newton, Jeffrey Wright, Tessa Thompson, Aaron Paul, Vincent Cassel e Ed Harris
 
Sinopse: A terceira temporada de Westworld, a aclamada série de ficção científica original da HBO, apresenta Dolores e Bernard em uma nova fase após a sua liberação. Enquanto ela se prepara para uma guerra contra a humanidade e Bernard tenta detê-la, ambos descobrem que o lado de fora é tão cheio de engano e predestinação quanto o mundo que sempre conheceram.



Trailer: 




E você, o que achou da 3ª Temporada de Westworld? Prefere a trama mais simples ou elaborada e às vezes confusa como nas temporadas anteriores? Não se esqueça de curtir, comentar e compartilhar!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário