Crítica: Um Lindo Dia na Vizinhança (2019, de Marielle Heller)



Nos anos 1960, o adorável programa de TV infantil Mister Rogers' Neighborhood era a sensação entre os americanos. Com uma voz calma e alguns fantoches, o objetivo de Fred Rogers (Tom Hanks) era passar ensinamentos sobre responsabilidade, sentimentos e vida adulta no geral às crianças.

Logo no começo de Um Lindo Dia na Vizinhança já é possível perceber que o filme irá utilizar diversos elementos do programa de TV, como o formato quadrado da tela e o filtro para parecer que foi gravado algumas décadas atrás. Além do uso de maquetes que simulam a cidade de Nova York para demonstrar passagem de tempo no decorrer da história real.

Apesar de parecer (e ter sido vendido ao público assim), o filme não é sobre o Mr. Rogers. É sobre o amargurado jornalista Lloyd Vogel (Matthew Rhys), que é pautado para fazer um perfil de Rogers para a revista Esquire. Com muitos problemas com seu pai, fissurado no trabalho e um coração pessimista, Lloyd é o cara perfeito para entrevistar o simpático e amado apresentador.


Mr. Rogers e Lloyd Vogel
O longa é considerado uma biografia e foi inspirado na história real da inesperada amizade entre o verdadeiro Fred Rogers e o jornalista Tom Junod, representado por Lloyd Vogel. Porém parece mais uma longa sessão de terapia com o Tom Hanks, em que ele tenta descobrir nossos traumas de criança, para que assim, possamos enfrentá-los. E isso poderia funcionar muito bem. Mas não funciona, mesmo.

Em meio a uma direção confusa, cortes bruscos e ritmo lento, é difícil saber qual a proposta real do filme. No começo, parece que querem nos passar mensagens sobre a importância de certas coisas na vida, como amor e perdão, e até conseguem, às vezes. Mas, ao mesmo tempo, nos empurram diálogos vazios e personagens caricatos demais, que não aparentam ser uma representação fiel das pessoas que inspiraram o longa. Com isso, a indicação de Tom Hanks à categoria de Melhor Ator Coadjuvante no Oscar 2020 pode ser bastante questionável. 


Tom Hanks foi indicado a Melhor Ator Coadjuvante no Oscar 2020 
Porém, após algumas pesquisas em relação ao filme, percebe-se que Um Lindo Dia na Vizinhança, por tratar de temas sensíveis, depende muito (muito mesmo) do mood do espectador para ser classificado como bom ou ruim. Ou como apenas um filme que tenta ser maior do que realmente é, e no final das contas, acaba sendo um longa esquecível.



Título Original: A Beautiful Day in The Neighborhood

Direção: Marielle Heller

Duração: 109 minutos

Elenco: Tom Hanks, Matthew Rhys, Chris Cooper, Susan Kelechi Watson, Maryann Plunkett e outros

SinopseLloyd Vogel é um jornalista investigativo que recebe a tarefa de fazer o perfil de Fred Rogers, também conhecido como Mr. Rogers, criador de "Mister Rogers' Neighborhood", programa infantil de TV muito popular na década de 1960 nos Estados Unidos.

Trailer:


Se você já conferiu o filme, conta para a gente o que você achou. E não esqueça de nos seguir nas redes sociais :)

Larissa Lago

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário