Especial: Meu Amigo Secreto MVDC #4


Como vocês devem estar cientes, o Minha Visão do Cinema decidiu fazer um amigo secreto de filmes, onde a pessoa escolhe um filme para quem tirou fazer a crítica sobre o mesmo. Legal né? Vamos para o que importa então.

E meu amigo secreto foi: Carol Oliveira! O filme que ela escolheu foi Zoom, de Pedro Moreli.


Zoom é um filme no mínimo peculiar para começar a dizer, primeiro precisamos entender nossos três personagens principais: Emma (Allison Pill) é funcionária em uma fábrica de bonecas sexuais e sonha em colocar silicone para se realizar como mulher e em seu tempo vago, faz desenhos em formato de HQ's onde idealiza nosso segundo personagem, Edward (Gael Garcia Bernal) um homem bem resolvido, diretor famoso em Hollywood que decide mudar sua visão de filmes e tentar fazer algo mais profundo e sentimental invés das suas famosas cenas de ação e explosões e finalmente, Michele (Mariana Ximenes) uma modelo de sucesso que se cansa da vida fútil de sua profissão e que decide escrever um livro. Você deve estar se perguntando onde tudo isso se encaixa na história, não é? 


Na tentativa de encaixar essas três linhas simultaneamente no filme, encontramos algumas falhas no roteiro que serve apenas para confundir um pouco o telespectador. O filme tenta nos mostrar uma visão diferente e moderna de uma história que encaixa cenas gravadas no Brasil mas onde todos falam em inglês (uma crítica sobre os filmes hollywoodianos), live-action e histórias em quadrinhos, que deixa a obra visivelmente muito bonita, mas repito, que se perde ao encaixar esses personagens todos na mesma história.
Percebemos que todos buscam algum tipo de autoaprovação, seja vindo deles mesmos ou de terceiros, como Emma que na tentativa de se parecer mais com seus desenhos de "ideal" perfeito, percebe depois que ela não precisava mais disso para ser feliz e na tentativa de voltar a ser o que era, entra em uma tremenda confusão para conseguir dinheiro, por outro lado ao mesmo tempo Edward se vê pressionado a seguir ideias sem sentido em sua história sobre uma modelo que quer ser uma escritora e logo temos Michele que quer mostrar que é muito mais do que apenas um rosto bonito. Começou a ligar os pontos?


Em determinado ponto, Emma começa a perceber que sua vida virou uma bagunça da noite para o dia e desconfia que algo está errado, ao voltar para seu caderno de desenhos percebe que seu homem ideal está falando com ela ao mesmo tempo que ele percebe estar sendo guiado por uma voz feminina, por fim, são todos histórias idealizadas por Michele onde imaginação e vida real se chocam a tal ponto que seus mundos começam a ruir. 

Apesar de se mostrar interessante em suas ideias, o diretor peca em sua superficialidade ao tentar ser mais do que consegue. Suas críticas sobre a indústria e que como tudo é sem sentido desde que faça sucesso ou tenha grandes cenas de ação, ao mesmo tempo criam vários caminhos para a história que se torna difícil entender o filme, porque a ideia aparentemente é não ter um sentido. 


Deixo agora a continuação dos filmes com a Carol! 



Trailer:

Espero que tenham gostado!


Natália

Nada do que eu disser será verdade

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário