Especial: Meu Amigo Secreto MVDC #10


Yes!!! Venham ver meu filme de amigo secreto!!!

Dando continuidade ao amigo secreto cinéfilo mais legal de todos os tempos, eu tirei o Gabriel Zupiroli! 

Eu só queria fazer um adendo aqui, antes de falar do filme em questão: a primeira escolha de filme do Gabriel tinha 7 horas e 30 minutos. Pensei comigo, "tá querendo me ferrar, Gabriel?", então eu pedi, com toda a gentileza desse mundo, que o filme fosse substituído por motivos de falta de tempo! 

Mas Gabriel, pode deixar que Satantango tá na lista para assistir nas férias (o dia que eu tirá-las! rs). 

Sem mais delongas, vamos falar sobre As Harmonias de Werckmeister!


Como é uma indicação de amigo secreto e eu era "obrigada" a assistir um filme sem ter opinião de escolha, decidi embarcar nessa aventura sem saber absolutamente nada do que se tratava. 

Nem Deus sabe o quanto eu achei esse filme cansativo do início ao fim, mas ele foi do chato ao curioso rapidamente e no fim eu fiquei "ual". 

É um tipo de filme que não se assiste só uma vez, muito menos pra escrever sobre ele. E eu nem sei se vou conseguir explicar aqui o porquê. Na verdade, sinto que qualquer coisa que eu escreva sobre ele nesse momento ficará superficial, mas... let's do it! 



János é um homem estudioso e questionador, faz e traz muitas reflexões sobre a natureza das coisas desse mundo de maneira bastante particular. Logo no início do filme ele tenta explicar um eclipse usando bêbados como os astros. Nesse momento você já começa a se questionar, onde será que esse filme vai parar?

Após um plano-sequência super longo de uma dança cósmica bêbada e intrigante, János é expulso do bar. E isso já nos põe em reflexão, porque nos colocamos no lugar do personagem e conseguimos sentir a frustração (?) do senso comum das pessoas e sua aversão ao pensamento. 



Rola um burbúrio na comunidade quando chega um circo na cidade, que tem como única atração uma baleia empalhada. Como é algo diferente de qualquer coisa já vista pela comunidade, esse evento causa estranhamento, mas para János, causa fascínio. Aquela baleia o faz pensar em quão pequenos somos em relação à natureza.

O filme possui tantas camadas, há tanta complexidade a ser entendida e explorada, que é muito difícil por em palavras os tantos simbolismos utilizados para explicar filosofias complexas. Como eu disse, não é um filme para ser assistido somente uma vez. 

Porém, vou de uma premissa mais simples para te conquistar a assisti-lo também! Imagine que você é uma pessoa estudiosa e questionadora, que se encanta com as coisas, tem empatia, busca entender a natureza para além de si próprio, e está vivendo em um local em que a sociedade é totalmente o oposto. Você se torna "o estranho", mas você sabe que não tem nada de estranho, muito pelo contrário! Só que essa dualidade acaba desencadeando coisas ruins.  

Qual o resultado, o fim, dessa fábula? Você vai precisar assistir pra descobrir! E no próximo fim de semana eu vou voltar para esse filme, porque ainda não o dei por finalizado! Dá facilmente para criar um clube de discussão em cima desse filme e ficar falando sobre as atitudes dos homens e natureza das coisas por horas a fio. 

Além desse enredo fantástico, eu amei demais 2 coisas a respeito desse filme: a trilha sonora e o enquadramento, que aqui foram quase personagens, eu diria. A trilha sonora é capaz de te embebedar enquanto você está marinado naquele mar de reflexões que te empurram pra baixo naquele oceano, até você sentir o peito pressionado pela pressão da profundidade. E o enquadramento te ajuda a por numa perspectiva mais real, é quase como se você se transportasse do seu confortável sofá para junto de János naquela cidade gélida da Hungria. 



Pra quem não sabe, o enquadramento decide o que vai fazer parte do filme em cada cena e em como nós iremos absorver aquele universo criado. E para um filme que trabalha com a sensibilidade e complexidade das ações humanas em planos-sequências longos, o enquadramento ser bom ou não não era uma opção, aqui ele não podia ser nada menos do que perfeito. E foi perfeito! Os planos te fazem caminhar junto com os personagens pela cidade e pelos acontecimentos, é incrível. Poético! De fato, uma poesia visual que vale muito a pena ser vista e revista milhões de vezes! 

Valeu pelo presente, Gabriel, amei! Agora é a tua vez... :D 



Título Original: Werckmeister Harmóniák

Direção: Béla Tarr e Ágnes Hranitzky

Duração: 145 minutos

Elenco: Lars Rudolph, Hanna Schygulla, Gyorgy Barkó, Djoko Rosic, Lajos Dobák e outros. 

Sinopse: János Valuska, um simples carteiro apaixonado por astronomia, vê sua cidade sofrer uma revolta depois da chegada de um circo e suas atrações: uma baleia gigante e um príncipe medonho com seus seguidores, pessoas simples das cidades vizinhas que ficaram seduzidas pelo seu discurso niilista contra a burguesia local.


Trailer: 

Estão gostando do nosso amigo secreto? Já viu o filme?

Helen Santos

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário