Crítica: Ford vs Ferrari (2019, de James Mangold)



Em meados dos anos 60 o mundo automobilístico estava a todo vapor. A disputa entre as grandes marcas para revolucionar o mercado era grande e tinha muito dinheiro envolvido. E todas tinham o mesmo objetivo: ganhar a Le Mans. Uma tradicional corrida que acontece na França e tem 24 horas de duração.

Na época, a italiana Ferrari era a campeã que parecia ser imbatível. Todas as outras marcas, como a Porsche, trabalhavam incansavelmente para construir carros mais equipados que os da italiana, e conseguir pilotos mais experientes. Já as marcas americanas, que trabalhavam mais com produção de carros em grande escala, quase não tinham chances na corrida.

Até que a Ford, que estava falindo, decide entrar na briga pelo primeiro lugar na Le Mans. Para tanto, a empresa precisava de uma pessoa especialista no assunto. E quem melhor que Carroll Shelby (Matt Damon), o único americano que já havia vencido a Le Mans?

Matt Damon como Carroll Shelby
No começo dos anos 50, Shelby havia ganhado a Le Mans e diversas outras corridas importantes, mas, devido a certos traumas, ele resolveu se aposentar das pistas. Com isso, começou sua carreira de designer de carros automobilísticos. E nesse ramo ele encontra o mecânico Ken Miles (Christian Bale), um piloto britânico de pequeno porte, que se torna grande amigo de Shelby.

Christian Bale como Ken Miles
A forma como James Mangold decidiu mostrar essa amizade peculiar é o que dá ritmo a Ford vs Ferrari, e isso o torna muito maior que um filme sobre a briga entre duas grandes empresas de carro. Na tela, a conexão entre Matt Damon e Christian Bale é incrível e mostra que os dois fizeram um ótimo trabalho de pesquisa de personagem.

A atmosfera dos anos 1960 americano é muito bem-criada no filme. Desde a fotografia, que brinca com as cores vibrantes nas corridas e com o glamour exorbitante nos bastidores da Ford e da Ferrari, até o desespero econômico de uma população preocupada com o futuro.

Foto real da corrida Le Mans de 1966
Já as cenas de ação, em que os carros são protagonistas, são um show a parte. A dinâmica da movimentação da câmera com os cortes nos dá uma sensação de velocidade, de medo, de apreensão pelo o que pode acontecer, mas sem deixar a cena clichê. O som também é um recurso muito bem utilizado pelo filme e acrescenta na experiência do espectador com a corrida.

Bastidores da filmagem de Ford vs Ferrari
Com o charme de Bale e Damon, a direção precisa de James Mangold e um roteiro interessante baseado em fatos reais, Ford vs Ferrari é cativante e consegue conquistar até quem não conhece (ou entende) nada sobre corridas automobilísticas. Ah, e existem boatos de que o filme tem boas chances no Oscar 2020. Vale a pena conferir!



Título Original: Ford vs Ferrari

Direção: James Mangold

Duração: 152 minutos

Elenco: Matt Damon, Christian Bale, Jon Bernthal, Caitriona Balfe, Josh Lucas, Noah Jupe e outros

Sinopse: Durante a década de 1960, a Ford resolve entrar no ramo das corridas automobilísticas de forma que a empresa ganhe o prestígio e o glamour da concorrente Ferrari, campeoníssima em várias corridas. Para tanto, contrata o ex-piloto Carroll Shelby (Matt Damon) para chefiar a empreitada. Por mais que tenha carta branca para montar sua equipe, incluindo o piloto e engenheiro Ken Miles (Christian Bale), Shelby enfrenta problemas com a diretoria da Ford, especialmente pela mentalidade mais voltada para os negócios e a imagem da empresa do que propriamente em relação ao aspecto esportivo.

Trailer:

E você, leitor, já conferiu o filme? Nos conte o que achou nas nossas redes sociais :)

Larissa Lago

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário