Crítica do filme: A Princesa e O Sapo (2009, John Musker e Ron Clements)


     Somente em 2009 a Disney criou uma princesa negra para integrar suas animações. E embora a Disney já venha deixando de lado a técnica 2D, Tiana teve o privilégio de fazer parte deste estilo de animação, que é muito nostálgico para os fãs da primeira época da Disney. Hoje temos outras animações de princesas em 3D como Rapunzel e Merida de Valente


     O fato é que Tiana não nasceu uma princesa, e nem era seu objetivo. Ela não buscava seguir tradições e nem se apoiar num homem para conseguir o que desejava. Nunca quis ser bancada. Ela simplesmente batalhou, trabalhou para ser a chef que sempre quis, e ter seu restaurante. E sua visão de mundo era de que a comida une as pessoas, promove essa partilha de sabores, sensações, e bons momentos. Isso lhe foi passado pelo seu pai, que era um trabalhador humilde e com um olhar apaixonado pelo o mundo. 





     Tiana acaba se transformando em sapa e precisa achar um jeito de se tornar uma mulher novamente. Ela passa por tudo isso ao lado de Naveen, um príncipe falido, que também está transformado  num sapo. Conhecemos Naveen na fase "embuste" dele. Aquele cara boêmio que nunca teve que mexer um dedo para conseguir o que queria, além de ser mulherengo. Ele não havia se acostumado com a ideia de que estava pobre, então fingia ser rico, e dizia poder ajudar Tiana a concretizar seu sonho de abrir um restaurante, e se tornar uma chef profissional. 


       Tiana acaba por mostrar a ele que as coisas não caem do céu, e aos poucos eles acabam se apaixonando. É compreensível que isso aconteça, pois Naveen vai se tornando uma pessoa melhor ao melhor estilo A Bela e a Fera, mas Naveen ainda assim é bem mais legalzinho do que aquele outro príncipe bestial. 


     A Princesa e o Sapo acaba sendo uma aventura moderna, na qual a mulher/princesa, é que toma atitude e acaba por salvar o dia. E a representatividade que o desenho traz é muito importante. Além de fazer isso no melhor estilo da música com jazz, no sul dos EUA, na Louisiana. Sem falar que a arte do filme é de tirar o fôlego, né? 



Título Original: The Princess and The Frog

Direção: John Musker e Ron Clements

Duração: 98 minutos

Elenco: Anika Noni Rose, Keith David, Jim Cummings, Jenifer Lewis, Opra Winfrey (...)

Sinopse: Tiana se torna uma sapa e agora ela tem pouco tempo para voltar a ser mulher novamente e concretizar seu sonho de ser uma chef profissional, e abrir seu próprio restaurante.



Trailer:




O que acha da princesa Tiana, leitor? Já assistiu o filme?
Curta, comente e compartilhe!




Amanda Mergari

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário