Crítica: The Politician - 1ª Temporada (2019, de Ryan Murphy e outros)



Juntar política com entretenimento é algo que está se tornando cada vez mais comum. Memes e hashtags sobre políticos são criados todos os dias nas redes sociais, muitas vezes para aguentar a dura realidade de que nossos representantes não medem esforços para falar ou fazer besteiras. Mas será que isso funciona como premissa de uma série?

Em The Politician funciona e muito bem. A nova criação de Ryan Murphy e seus fiéis parceiros Brad Falchuk e Ian Brennan para a Netflix apresenta, em oito episódios, a história de Payton Hobart (Ben Platt), um estudante que tem o sonho de ser o presidente dos Estados Unidos. Na verdade, essa vontade é muito maior que um sonho, Payton tem a certeza de que será presidente um dia e se prepara dia e noite para este momento.


O estudante da Saint Sebastian High School já leu diversas biografias de todos os presidentes dos Estados Unidos e calcula cada passo que ele terá de dar para alcançar esses caras. Um desses passos é ganhar a eleição do Grêmio Estudantil da escola. Para isso ele conta com a ajuda de seus amigos - que mais parecem ser uma espécie de assessoria - Alice Charles (Julia Schlaepfer), McAfee Westbrook (Laura Dreyfuss) e James Sullivan (Theo Germaine).

Porém, o que parecia ser uma tarefa fácil se torna um grande fardo para todos da Saint Sebastian High School carregar. Tragédias, inimigos e problemas na família fazem Payton se dividir em vários para manter sua reputação impecável e ele conseguir alcançar seus objetivos.

O ritmo da série é muito bom nos primeiros episódios e consegue te prender, mas, mais para o meio, a história se perde um pouco e pode te deixar confuso. Principalmente um determinado episódio, que me fez questionar se ele realmente precisaria estar ali, já que acrescenta pouquíssimo a narrativa. A séria ganha fôlego nos últimos episódios e apresenta plot twists interessantes. Como o de Infinity (Zoey Deutch), uma menina que aparentar ser doce que tem câncer e acaba se envolvendo na eleição do Grêmio.


Uma das coisas mais atraentes na série é como ela ensina e mostra como se faz política de verdade, enquanto nos envolve nos dramas de adolescentes ricos e brancos. O crédito vai para o roteiro que consegue manter o espectador interessado mesmo quando o assunto é estritamente político. E também vai para o elenco - que conta com nomes como Gwyneth Paltrow e Jessica Lange - que tem um carisma gigantesco e consegue apresentar personagens diversificados, divertidos, chatos e peculiares. Poucos são os personagens que parecem “desnecessários” para a história.

Com referências a O Iluminado, de Stanley Kubric, e Garota Exemplar, de David Fincher, o trabalho de direção não muda muito de um episódio para outro, apesar deles serem dirigidos por diretores diferentes. Apenas o piloto foi dirigido por Ryan Murphy, mas conseguimos ver muito de seu estilo no decorrer da série, principalmente nas cenas mais dramáticas.


E assim como em boa parte do trabalho de Ryan Murphy, é claro que temos cenas musicais. Dessa vez elas não funcionam tanto, acredito que não se encaixam na proposta de série, quebram o ritmo, mas não chegam a estragar a série, já que são poucas cenas.

A primeira temporada de The Politician termina com um ótimo gancho para a próxima, que já foi confirmada para 2020 pela Netflix. Esperamos que a história continue interessante e apresente mais detalhes sobre os personagens, mas que descubra seu ritmo ideal para não sofrer com o mesmo problema dessa.


Título Original: The Politician 

Direção: Ryan Murphy, Brad Falchuk, Janet Mock, Helen Hunt e outros

Episódios: 8

Duração: 45 minutos

Elenco: Ben Platt, Zoey Deutch, Lucy Boynton, Bob Balaban, David Corenswet, Julia Schlaepfer, Laura Dreyfuss, Rahne Jones, Benjamin Barrett, Jessica Lange, Gwyneth Paltrow e outros

Sinopse: O adolescente Payton Hobart (Ben Platt) tem um sonho: se tornar o presidente dos Estados Unidos. Enquanto o cargo não chega, o garoto de família rica tem seus planos traçados, que incluem entrar em Harvard, se tornar presidente do grêmio estudantil e conseguir as melhores notas. Mas o Ensino Médio vai ser muito mais difícil e competitivo do que ele imaginava.

Trailer:


Siga-nos nas nossas redes sociais e conte-nos o que achou da nova criação de Ryan Murphy!

Larissa Lago

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário