Crítica: Shaft (2019, de Tim Story)



Haja tempo para conseguir assistir todas as novidades que a Netflix anda colocando em seu catálogo, o último filme que me deparei foi Shaft, e venho dizer que é um filme de ação pipoca, com um excelente elenco e uma história clichê. Leia nossa crítica sem spoiler!

Claro que o que chama a atenção em um primeiro momento é que o filme é estrelado por Samuel L. Jackson, então já podemos esperar algo bom. O que eu também não sabia é que o filme é o terceiro filme, o original é de 1971, o segundo saiu em 2000 e agora temos o terceiro 19 anos depois. Na história, Shaft (Samuel L. Jackson) é um detetive desbocado que teve que se afastar de sua família após um atentado a sua vida, que colocou em risco a vida de seu filho ainda bebê.


Se mantendo afastado durante anos, JJ Shaft (Jessie Usher) acaba sendo criado pela mãe e ao crescer, se torna analista de dados do FBI. Ao descobrir que seu melhor amigo Karim Hassan (Avan Jogia) morreu de forma suspeita, ele procura o pai e pede ajuda na investigação. O personagem não poderia ser o mais diferente de seu pai, tanto na forma de se vestir como agir. 

O filme brinca bastante com a geração Millennials, segundo a sociologia essa geração desenvolveu-se numa época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica e facilidade material e efetivamente, em ambiente altamente urbanizado, imediatamente após a instauração do domínio da virtualidade como sistema de interação social e midiática, e em parte, no nível das relações de trabalho. Se a geração X foi concebida na transição para o novo mundo tecnológico, a geração Y foi a primeira verdadeiramente nascida neste meio, mesmo que incipiente.



E essa diferença entre as personalidades dos dois é que dá a liga na história, criando situações bem engraçadas de se ver e ao mesmo tempo, criando um laço entre pai e filho. Mas sem dúvida alguma o filme é todo carregado pelo carisma e talento de Samuel L. Jackson, que rouba a cena sempre que aparece. Basicamente são quase duas horas de filme onde vemos a interação desses personagens tentando desvendar o mistério em volta a morte de Karim. Como eu disse no começo, é um filme simples e bem clichê que serve para passar o tempo e entreter, não há grandes revelações nem muito no que se aprofundar. Muito tiroteio e comédia para assistir em um domingo à tarde.




Título Original: Shaft



Direção: Tim Story


Duração: 111 minutos

Elenco: Samuel L. Jackson, Jessie Usher, Richard Roundtree, Alexandra Shipp, Regina Hall, Matt Lauria, Titus Welliver, Method Man, Isaach de Bankolé, Avan Jogia, Robbie Jones, Lauren Vélez

Sinopse: John Shaft III (Jessie Usher) é um agente do FBI que recorre à seu pai distanciado, o legendário John Shaft II (Samuel L. Jackson), após seu melhor amigo morrer sob circunstâncias suspeitas. Pai e filho precisam navegar pelo submundo do Harlem para resolver o crime, mas não sem a ajuda da primeira geração: John Shaft (Richard Roundtree).

Trailer:



E você? Gostou do filme?

Natália

Nada do que eu disser será verdade

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário