Crítica: Chernobyl (2019, de Craig Mazin)



Com certeza você já ouviu falar sobre Chernobyl e não estou falando da minissérie mas sim do fatídico acidente que se transformou no pior da história da humanidade, quando uma usina nuclear explodiu na Ucrânia. Mas sabemos mesmo o que aconteceu naqueles dias? Aparentemente não, porque, como sempre, só vimos a ponta do iceberg e graças à minissérie somos levados à época da explosão e o que aconteceu não só no dia, mas nos muitos dias que se passaram e com as pessoas que ali estiveram. Uma série forte, adulta e sem panos quentes. Se você gosta de um bom documentário (se é que podemos chamar assim) e de drama, a HBO te presenteia com uma história que muitos conhecem mas que pouco sabemos sobre. Leia mais sobre a minissérie logo abaixo.
  

Primeiramente ficaria difícil falar sobre a série e não explicar de fato os problemas que a radiação causa, então vamos a um rápido resumo. Radiação nuclear é um tipo de radiação originada no núcleo de determinados átomos de elementos químicos que não estão estáveis. As radiações nucleares podem ser de vários tipos, mas, principalmente: partículas alfa (α), partículas beta (β) e radiação gama (γ). As partículas alfa, apesar de liberarem energia, possuem baixo poder de penetração. As partículas beta possuem alta energia cinética e poder de penetração superior ao das partículas alfa.

A radiação gama, por ser uma onda eletromagnética, da mesma natureza da luz, pode viajar com a velocidade da luz, ou seja, a radiação gama, propaga a 300.000 km/s, assim como a luz. Esta radiação é altamente penetrante, ou seja, como seu poder de penetração é muito elevado, pode atravessar um corpo humano com grande facilidade.¹

Grandes doses de radiação ionizante em um curto espaço de tempo levam à Síndrome Aguda de Radiação (SAR), também conhecida como envenenamento por radiação. A gravidade dos sintomas da SAR depende do nível de exposição. Uma dose de radiação baixa se parece com uma gripe — náusea e vômito, dores de cabeça, fadiga e febre. Se o corpo for exposto à uma dose maior, as células sanguíneas começam a morrer. Você ainda poderia se recuperar — tratamentos desse tipo de síndrome de radiação geralmente envolvem transfusões de sangue e antibiótico. Você também nota um tipo de bronzeamento estranho, conhecida como radiodermite aguda, seu efeitos incluem manchas vermelhas, descamação da pele e algumas bolhas.²
 


Dito isso, vamos à história em si. Somos levados ao futuro, para só depois entender o passado. Vivenciamos dia a dia o que aconteceu e, diga-se de passagem, a série não deixa de apontar os fatos e os possíveis culpados. Muita coisa aconteceu para que o reator explodisse e somos apresentados a cada um desses fatores conforme a série caminha. Temos um grande problema humano, já que na época, a Usina Nuclear era um símbolo da União Soviética, um marco, por assim dizer. Talvez nunca saibamos ao certo o que ocorreu mas o que nos foi contado é a pressão vinda de "cima" para que tudo corresse conforme o planejado, levando a grotescos erros que por fim, eram impossíveis de serem corrigidos.

Precisamos entender que na época, existia o Partido Socialista ou simplesmente URSS, tenho certeza que se você já assistiu um filme sobre espiões, essa sigla não passou desapercebido, que mandava em tudo, desde o que você ia pensar/dizer e até como você viveria. As pessoas viviam como "iguais" ou pelo menos era isso que o Partido discursava, mas sabemos que tal coisa não existe, como sempre, alguém impunha devida tarefa à outra e assim sucessivamente. O que me fez pensar e muito em um famoso livro, 1984, de George Orwell que tenho certeza que quem leu, possa ter associado às histórias, assim como eu fiz. Mas se você não leu, tudo o que é preciso saber é: há um partido e há inúmeras regras inquebráveis, você é parte de um todo e não existe individualismo, o Partido controla tudo e todos. Exatamente como na época. Caso você pense diferente, a cadeia é o mínimo dos problemas.



Foto Original


Como se não bastasse a soberba de querer ser melhor do que os outros, a hipocrisia e as mentiras se alastraram mais rápido do que a própria radiação. Os "culpados" na hora da explosão decidiram negar todo e qualquer problema real que estava acontecendo, colocando assim, milhares de vidas à beira da morte, nenhuma medida de segurança foi tomada, muito pelo contrário, milhares de trabalhadores foram chamados até o local para apagar o incêndio causado pela explosão e ficaram, literalmente na linha de frente. Todos os bombeiros que estiveram lá aquele dia, morreram semanas depois. Quando de fato a mascara caiu, já era muito tarde, a radiação tinha se propagado de forma avassaladora, chegando a outros países, alto nível de radiação afetou as regiões no entorno da usina, chegando a uma área de 100 mil km².


Tudo ao redor foi, literalmente, devastado e o que sobrou precisou ser derrubado ou abatido. Milhares de vidas foram tomadas para salvar milhões, os soldados e os trabalhadores que ajudaram após o acidente, tinham total noção das consequências de estarem ali e mesmo assim continuaram, dando suas vidas. Acredito que nem todos que ali estiveram foram por motivos tão heroicos, mas mesmo assim, merecem todo o respeito que podemos dar.



A série carrega todo o peso que a história necessita, toda a carga emocional e principalmente todo o perigo que ronda um universo tão silencioso como o dos átomos. Não há momentos de alegria, nem de alívio, apenas uma tensão crescente, mesmo quando as coisas dão certo, porque tecnicamente, nunca mais nada estará certo lá. As pessoas que foram evacuadas de suas casas nunca mais poderiam voltar ao seu antigo lar, ninguém inclusive, pois a radiação está tão forte quanto antes. Serão necessários pelo menos 100 anos até ela diminuir. Muito dinheiro ainda é gasto em Chernobyl para continuar controlando a radiação e Deus sabe quanto tempo será necessário. Chernobyl nos mostra a magnitude de uma história bem contada.

Referências:

1 - https://quiprocura.net/w/2019/06/11/radiacao-nuclear-o-que-e/

2 - https://gizmodo.uol.com.br/o-que-a-radiacao-nuclear-faz-com-seu-corpo/






Título Original: Chernobyl



Direção: Craig Mazin



Episódios: 5



Duração: 60 minutos aproximadamente



Elenco: Stellan Skargard, Jared Harris, Emily Watson, Paul Ritter, Jessie Buckley, Con O'Neill, Barry Keoghan, Ralph Ineson, Robert Emms



Sinopse: Homens e mulheres corajosos agem heroicamente para mitigar danos catastróficos quando a Usina Nuclear de Chernobyl sofre um acidente nuclear em 25 de abril de 1986.

Trailer:



Mais Imagens:





 




Gostou da crítica? 

Comente!


Natália

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário