Crítica: Entardecer (2019, de László Nemes)



Entardecer é um drama húngaro que narra a história de Irisz Leiter (Juli Kalab) uma jovem órfã que retorna à Budapeste, cidade onde nasceu, para retomar suas origens e descobrir informações sobre a sua família. Durante sua investigação, ela começa a trabalhar numa chapelaria que pertenceu aos seus familiares e no meio disso tudo ainda lida com conflitos que estão acontecendo por causa do declínio Austro-húngaro.


O longa-metragem se estende por quase duas horas e meia de câmeras seguindo ou acompanhando a protagonista, provavelmente com o intuito de reforçar a ideia de busca. Busca que para o espectador parece sem fim, pois quando o filme ainda está em quarenta minutos temos a sensação de que passaram duas horas. O ritmo lento compromete toda a trama, até mesmo para o contexto de guerra que caminha junto com a trama principal.
   
Dirigido por Laszlo Nemes do longa Filho de Saul (2016), ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2016, não obteve o mesmo sucesso com Entardecer que tem elementos parecidos: laços familiares e conflitos históricos. Entretanto, não possui ritmo, sem contar que apostar todas as fichas no belo rosto de Juli Kalab e em sua interpretação pouco cativante acabou sendo um erro.


Uma das poucas coisas que salvam o filme são os figurinos e os cenários que são impecáveis e bem fiéis ao momento histórico, mas a estética não deveria ser o único elemento a contar a história. De tanto vai e volta da protagonista, sem um rumo o filme torna-se cansativo e muito chato.   


Título Original: Sunset

Direção: Lászlo Nemes

Duração: 141 minutos

Elenco: Juli Jakab, Vlad Inanov, Evelin Dobos, Marcin Czarnik, Judit Bardos, Benjamin Dino, Balázs Czukor, Christian Harting 

Sinopse: Em 1913, durante o declínio do Império Austro-Húngaro, Irisz (Juli Jakab) retorna à Budapeste, cidade em que nasceu, depois de anos vivendo em um orfanato. Ela pretende trabalhar na loja de chapéus que já pertenceu aos seus familiares, mas logo percebe que existe um novo dono no estabelecimento. Pior do que isso, Irisz descobre que o nome da família está manchado na cidade por razões que ela desconhece. A jovem desafia as regras locais para efetuar sua própria investigação.

Trailer:


Deixe seu comentário sobre o que achou do filme ou se pretende assistir!

Ana Paula Araújo

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário