Crítica: Uma Aventura Lego 2 (2019, de Mike Mitchell)


"Tudo é incrível, tudo é legal quando você faz parte de uma equipe, tudo é incrível quando você está vivendo um sonho... "
Versátil, frenético, divertido. Uma Aventura Lego, em 2014, inovou o gênero animação trazendo um dos entretenimentos infantis mais consumidos mundialmente: os famosos LEGOS. Com uma simplicidade apresentada e utilizando a tecnologia ao seu favor aos "limites robóticos" que esses brinquedos apresentam, a aventura foi extraordinária com a direção de Phil Lord e Chris Miller. Agora, cinco anos depois, chega a segunda parte dessa trama, trazendo novas histórias rodeadas de super-heróis e referências da cultura pop.

Seguindo do ponto onde parou, Uma Aventura Lego 2 traz uma bela mescla da história e diversão para toda a família. Todos os seis personagens principais da primeira parte estão de volta e junto a eles novos personagens foram introduzidos de maneira que não altere o rumo da mitologia criada no primeiro longa. 
A trama se inicia do momento onde o primeiro longa se encerra e se passa basicamente cinco anos no futuro, onde temos o prazer de assistir o universo LEGO ser expandido e apresentado de maneira criativa e muito divertida, com uma interação maior com o mundo humano e o mundo dos brinquedos, que nos remetem a compreender melhor como o universo LEGO funciona.
Phil Lord e Christopher Miller voltam a estar presentes na sequência como roteiristas e deixam a direção a cargo de Mike Mitchell (Trolls) que soube drenar bem a essência atmosférica da primeira trama, repleto de referências da cultura pop, como nosso queridíssimo Bruce Willis interpretando ele próprio com referências a Duro de Matar. Outras tantas aparecem no decorrer do filme e vastas brincadeiras com a Liga da Justiça, incluindo piadas com Lanterna Verde, Aquaman e a relação entre o Superman e o Lanterna Verde, originalmente dublados por Channing Tatum e Jonah Hill, dupla que estrelou Anjos da Lei. O arco principal também não foge dessa temática fazendo referências a Jurassic World e Guardiões da Galáxia.

Apesar de tudo,
Aventura Lego 2 não consegue mudar as suas características e continua no mesmo paradigma, não realçando um novo patamar até mesmo para os LEGOS em uma distopia futurística que se assemelha a Planeta dos Macacos e Mad Max: Estrada da Fúria. Aqui a música é usada de modo massivo com a proposta de engrandecer o filme e seduzir o público alvo. O humor ácido é benevolente, dissolve nos elementos amadurecidos na abordagem aventureira da nova jornada. 

A continuação até deixa de elaborar novos feitos, mas a trama bastante acolhedora e madura por todos os seus acontecimentos e com montagens em alta intensidade, deixa 
Uma Aventura Lego 2 totalmente acessível a divertidas aventuras, uma jornada perfeita para ser assistida em família que tanto os mais novos quanto os mais experientes conseguem compreender.

Título Original: The LEGO Movie 2: The Second Part

Direção: Mike Mitchell

Duração: 107 minutos

Elenco: Maya Rudolph, Brooklynn Prince, Jadon Sand, Chris Pratt, Elizabeth Banks, Will Arnett, Tiffany Haddish, Stephanie Beatriz, Alison Brie, Nick Offerman, Charlie Day, Will Ferrell, Channing Tatum, Jonah Hill, Cobie Smulders, Richard Ayoade, Ben Schwartz, Noel Fielding, Ike Barinholtz, Ralph Fiennes e  Will Forte, Jimmy O. Yang, Jorma Taccone, Bruce Willis e Jason Momoa

Sinopse: Cinco anos após os eventos do primeiro filme, a batalha contra inimigos alienígenas faz com que a cidade Lego torne-se Apocalipsópolis, em um futuro distópico onde nada mais é incrível. Neste contexto, Emmet constrói uma casa para que possa viver ao lado de Lucy, mas ela ainda o considera ingênuo demais. Quando um novo ataque captura não apenas Lucy, mas também Batman, Astronauta, UniKitty e o pirata, levando-os ao sistema planetário de Manar, cabe a Emmet construir uma espaçonave e partir em seu encalço. No caminho ele encontra Rex Perigoso, um navegante solitário que decide ajudá-lo em sua jornada.

Trailer:

E você curte a franquia LEGO? Comente e não deixe de navegar em nossas redes sociais!

Fagner Ferreira

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário