Crítica: Wanderlust - Navegar é Preciso (2018, de Nick Payne)



Toni Collette está no hall das atrizes que dispensam apresentações, portanto, uma série protagonizada por ela soa quase como mandatória aos admiradores do seu trabalho. A boa notícia, é que dificilmente você irá se arrepender de curtir os 6 episódios de Wanderlust - Navegar é Preciso.

O nome curioso da série, significa ao pé da letra: Wander (caminhar, vagar) e Lust (desejo), desejo de caminhar. O termo é utilizado para descrever vontade de viajar. Entender o significado do nome é importante para entendermos a motivação de Joy (Toni Collette) e seu marido Alan (Steven Mackintosh) em tirar o relacionamento do lugar comum, de fato fazê-lo viajar por aí!

O casal vive há mais de 20 anos juntos e têm três filhos como frutos deste matrimônio. Os jovens são vividos por Joe Hurst (que esteve em Jogador Nº1), que vive um adolescente na descoberta de sua vida sexual; Celeste Dring, que dá vida à filha mais velha do casal e acabou de sair de um relacionamento; e, por fim, a belíssima Emma D'Arcy, como a filha que está claramente em busca de emoções e experiências, não se importando tanto com o sexo.


Pareceu muita coisa a ser trabalhada na mesma série e com apenas 6 episódios? De fato, são muitos assuntos, mas todos girando sempre em torno da mesma temática, só que em momentos diferentes.

Joy, como boa terapeuta, entende que tudo funciona em seu relacionamento, com exceção do sexo, portanto, propõe ao marido que eles busquem de forma consensual um bom sexo fora do casamento. Ao mesmo tempo, os três filhos também estão experimentando descobertas em suas vidas e ainda temos o embate das pessoas com as quais Joy e Alan se relacionam. 

Não há como esconder que estamos diante de um tema polêmico, e é interessantíssimo como ele é muito bem abordado pelo roteiro e direção. Tratam tudo de forma mais natural, deixando para que as reações dos personagens, e as nossas, deem o tom de o quanto isso tudo nos pode parecer diferente.


A direção é segura, o roteiro trata um assunto espinhoso do ponto de vista do tradicionalismo, e ainda conta com uma fotografia que capta muitíssimo bem desde paisagens até cada sentimento em tomadas individuais, que são um verdadeiro tapa na cara.

Como se tudo isso não fosse o bastante para nos deliciarmos com essa série, ela trata sobretudo de como vamos permitindo em nosso dia a dia, que os traumas, problemas, situações que preferimos abafar, ficam lá guardados e se manifestem das mais variadas formas em nossos relacionamentos, sejam eles amorosos ou não. Trata-se de uma belíssima série BBC e Netflix, dirigida por Nick Payne, que também trabalhou como roteirista em The Crown.


Título Original: Wanderlust

Direção: Nick Payne

Elenco: Toni Collette, Steven Mackintosh, Zawe Ashton, William Ash, Royce Pierreson, Anastasia Hille e Joe Hurst.

Sinopse: Joy Richards (Toni Collette) é uma terapeuta que está decidida a reacender a chama do seu casamento após um acidente de bicicleta mudar o rumo do relacionamento dela com seu esposo. Enquanto tenta uma reconciliação, ela se depara com algumas histórias de amor, ganância e desejos proibidos pelo caminho.


Trailer:




João França

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário