Crítica: Bird Box (2018, de Susanne Bier)


A Netflix se firmou como o maior serviço de streaming mundial e lança conteúdo próprio semanalmente, para todos os públicos, de diversos países diferentes. Bird Box, um dos recentes fenômenos do catálogo, além de ter uma das maiores estrelas do cinema atual como protagonista, também contou com uma divulgação ampla, mas será que o filme é realmente bom?

O cenário "pós-apocaliptico" do longa tem sido recorrente e a comparação com Um Lugar Silencioso é imediata, tanto por não dar detalhes da origem das criaturas, quanto pelos momentos de tensão que ambos proporcionam, mas em quesitos técnicos, Bir Box sai perdendo, principalmente pelo seu roteiro batido.


Susanne Bier (Depois do Casamento, Serena) consegue surpreender nas cenas de ação, principalmente no primeiro ato do filme, onde o caos se instala. Sua direção é ótima e ela consegue criar cenas extremamente realistas no rio, mas onde seria o forte da diretora (momentos dramáticos), o filme peca.

O roteiro de Eric Heisserer (A Chegada, Quando As Luzes Se Apagam) é clichê nos momentos cruciais, sem sutileza na hora de construir e desenvolver os personagens, além de possuir diálogos rasos. Sandra Bullock e Sarah Paulson estão ótimas, mas o restante do elenco é mal desenvolvido e não tem espaço (em um filme de mais de duas horas, pasmem) para crescer. 


Quando há uma narrativa não-linear, a edição se torna fundamental para que o futuro e o presente sejam expostos nos momentos corretos. Aqui, todas as cenas no rio são inseridas com exatidão, sem nunca deixar o filme esfriar.

O clímax de suspense é bem construído e há vários momentos de tensão, apoiados pela entrega da Sandra Bullock e por uma trilha excelente.


Sandra Bullock tira leite de pedra e consegue entregar uma performance do nível de sua fama, ela constrói uma Malorie endurecida pela vida, mas que transparece seu lado humano (mesmo que o roteiro tente sabotá-la toda hora). Sarah Paulson aparece pouco, mas além de esbanjar uma química fundamental com Bullock, ela rouba a cena. Trevante Rhodes não chega a comprometer, mas não entrega nada acima da média. O restante do elenco é morno e mal aproveitado.


Bird Box acaba e a sensação de um filme clichê bem feito fica no ar, criatividade não é sua principal característica, mas o longa cumpre tudo aquilo que se propõe a fazer de maneira competente. 


Título Original: Bird Box

Direção: Susanne Bier

Elenco: Sandra Bullock, Trevante Rhodes, Sarah Paulson, John Cena, Jacki Weaver, Rosa Salazar, Danielle Macdonald, Machine Gun Kelly, Lil Rel Howery, Tom Hollander, John Malkovich, BD Wong, Pruitt Taylor Vince, Julian Edwards e Vivien Lyra Blair

Sinopse: Em um mundo pós-apocalíptico, Malorie (Sandra Bullock) e seus filhos precisam chegar em um refúgio para escapar de criaturas que misteriosas, que ao serem vistas, fazem pessoas se tornarem extremamente violentas. De olhos vendados para não serem afetados, eles seguem o curso de um rio para chegar à segurança.

                                         Trailer:




Yago Tanaka Gonçalves

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário