Crítica: American Horror Story: Apocalypse - 8ª Temporada (2018, Bradley Buecker e outros)




Sem dúvida alguma essa temporada foi a mais nostálgica para os fãs. Tivemos a volta de personagens icônicos como Constance Langdon, vivida pela magestosa Jessica Lange, Marie Laveau (Angela Bassett) e Papa Legba (Lance Reddick) que ainda consegue nos dar um frio na espinha sempre que aparece. O crossover entre Murder House e Apocalypse foi uma jogada muito inteligente da produção, uma vez que todas as temporadas, de uma forma ou de outra, se encontram em determinado momento. Mas a história foi tudo isso que prometeram? 

Confira nossa crítica e veja o que achamos do oitavo ano da série!


O título desse ano já nos dá uma boa ideia do que esperar da temporada. A série que começa confusa após o fim do mundo, deixa muito a desejar na forma como nos é passada as informações. Primeiro vimos o futuro, as consequências para o mundo de forma geral e como as pessoas salvas vivem agora. Nada muito glamouroso e longe de ser feliz. Porém temos algo muito interessante aqui, alguns personagens como a de Sarah Paulson, nos brindam com várias atuações, personagens novos e antigos interagindo entre si para tentar de alguma maneira, corrigir esse grande problema. Como sempre, temos personagens caricatos, excêntricos e de grande personalidade para ninguém botar defeito. Lembram-se em Murder House quando, no último episódio, descobrimos que Constance levou uma criança para criar em sua casa? Pois bem, ele cresceu e se transformou no Anticristo, Michael Langdon (Cody Fern), nada muito surpreendente, pois já deduzimos isso na primeira temporada. 


Já vimos muita coisa estranha nessa série, mas esse ano a história tenta nos dar um chacoalhão sobre o perigo do fanatismo. Um ponto que eu sempre achei muito positivo em todas as temporadas é que ela tenta nos passar, de certa forma, uma lição. Longe de ser sutil a maneira que nos é passada, mas ao mesmo tempo que choca, nos diverte. De alguma forma o impossível não passa de uma ideia que surgiu na cabeça de alguém, que passou para outras pessoas, como um vírus. Aqui, temos pessoas se vendendo por muito pouco para ter algum tipo de facilidade na vida, seja ela material ou pessoal. Temos pessoas cansadas de lutar e perder todos os dias, pessoas cansadas de serem enganadas, desacreditadas e, principalmente, infelizes; capazes de tudo para encontrar algo que faço sentido em suas vidas e são justamente essas pessoas que acabam por ajudar a concretizar o fim do mundo.


Uma coisa que me chamou muito a atenção, foi em um determinado episódio onde pessoas adeptas ao Satanismo estão reunidas em sua igreja, para o culto da noite. Propositalmente, o "culto" é pregado da forma que, provavelmente, todos conhecem em uma igreja protestante comum, o que só aumenta a ironia da situação. Me chamou a atenção pelo motivo de: e se a mensagem fosse outra? O ser humano não é conhecido por aceitar as pessoas como elas são e muito menos por ser tolerante. Fico imaginando se a mensagem pregada nesses lugares, onde buscamos conforto, fosse totalmente oposta àquela pregada nos dias de hoje. Convenhamos que, mesmo assim, deixamos a desejar em vários quesitos. Mas não vamos nos ater a isso. O que eu quero dizer com tudo isso é: ideias são perigosas quando ditas por alguém que se acha sábio.


Mas voltando a série em si: foi uma temporada confusa, cheia de reviravoltas e um tanto quanto difícil de acompanhar a princípio. A história começa pelo fim, volta para o meio e só então pegamos o início de tudo, e é aí que começamos a entender várias coisas que antes, estavam soltas. Apesar de serem um pouco irritantes algumas interrupções nos episódios para explicar a trajetória de Langdon até assumir seu posto, foi uma temporada feita para os fãs e somente para os fãs. O foco esse ano estava um tanto quanto disperso e apesar dos pesares, American Horror Story continua forte, mas falta um pouco de originalidade e um pouco de terror, talvez. Contudo, sem sombra de dúvidas, Murder House foi a melhor temporada até agora e utilizá-la como pano de fundo aqui foi uma jogada muito inteligente, que poderia ter sido melhor desenvolvida. 





Título Original: American Horror Story: Apocalypse

Direção: Bradley Buecker, Gwyneth Horder Payton, Jennifer Arnold, Jennifer Lynch, Loni Peristere, Sarah Paulson, Sheree Folkson

Elenco: Billie Lourd, Cody Fern, Sarah Paulson, Emma Roberts, Evan Peters, Kathy Bates, Taissa Farmiga, Lily Rabe, Jessica Lange, Gabourey Sidib, Angela Bassett

Sinopse: Num futuro próximo, uma guerra nuclear faz com que a humanidade seja levada ao extremo para sobreviver. Com as consequências de um apocalipse, um grupo de sobreviventes vivem juntos num abrigo subterrâneo chamado Outpost 3, um refúgio para o desastre radioativo, onde o clã matriarcal controla os moradores rigorosamente e pune quem quebra as regras.


TRAILER:

Gostaram da temporada?

Natália Vieira

Gosto de filmes e sou viciada em séries e música boa. Não tem muito o que dizer depois disso.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário