Crítica: Gun City (2018, de Dani De La Torre)


Nem só de obras medianas e sem muito brilho vivem as produções originais da Netflix! Gun City, o mais novo longa espanhol do serviço de streaming, chega para quebrar este paradigma, trazendo uma obra bem produzida e com qualidade bem superior.

Não é de hoje que a Netflix tem explorado o potencial existente na Espanha, voltando-se principalmente para séries, como As Telefonistas e La Casa de Papel, sucessos do catálogo e ainda para filmes que não são tão expressivos. Com alguns rostos conhecidos, como o de Jaime Lorente e Paco Tous (respectivamente Denver e Moscou da série La Casa de Papel) e atores com grande bagagem, como o ator protagonista Luis Tosar, Gun City acerta em vários quesitos, se tornando uma obra de relevância.



A história se passa na Espanha dos anos 20, mais precisamente no ano de 1921, com o confronto entre anarquistas e a polícia, devido a um recente roubo de armas.
Luis Tosar é Anibal Uriarte, um misterioso policial supostamente enviado de Madrid para auxiliar nas investigações acerca do roubo das armas. Encontrando uma polícia corrupta e sem escrúpulos, ele trata logo de mostrar seu valor, demonstrando frieza ao lidar com situações extremas.

Em paralelo, conheceremos Sara (Michelle Jenner), uma jovem feminista que luta pelos direitos de suas colegas de trabalho na empresa em que estão, assim como seu pai, Salvador Ortiz (Paco Tous) que também lidera uma greve na indústria onde trabalha, de García Serrano (William Miller), porém é confrontado a todo tempo por Léon (Jaime Lorente) para assumir uma postura mais rebelde; violenta.



Soma-se à instabilidade iminente, a figura de um barão alemão (Manolo Solo), dono de um clube, que tem como estrela principal Lola (Adriana Torrebejano), uma cantora e dançarina que arranca suspiros dos frequentadores do local. Neste ambiente ocorrem grandes negociações, inclusive da brigada da informação (repartição da polícia) para com o Barão, a fim de atenderem seus interesses pessoais.

Em meio ao barril de pólvora prestes a explodir, Anibal Uriarte fará um jogo misto para todos os lados, a fim de obter a informação de quem roubou a carga de armas, tratando tanto com os anarquistas, quanto com a própria brigada da informação e, ainda, com o Barão. Ele, que se vê assombrado pelos fantasmas do passado, é um homem duro e reservado, porém questiona sua própria personalidade quando tem de lidar com Sara.

Com uma produção de encher os olhos, atuações acima da média e uma ambientação fantástica, o longa nos transporta para a Espanha dos anos 20 e nos leva por suas mais de 2 horas de duração, de volta a um passado negro, de violência, corrupção e muitas mortes. 



Luis Tosar possui um destaque maior em sua atuação e praticamente carrega a trama nas costas, sem precisar dizer muito. Porém, há que se dar relevância para as atuações de Vicente Romero e Ernesto Alterio, respectivamente inspetor Rediú e Tísico, que dão vida aos integrantes da polícia corrupta que conduz as investigações. Michelle Jenner também está excelente em tela, nos passando verdade em sua personagem, ao mesmo tempo que transmite inocência e bravura.



Com vários planos sequência bem elaborados e complexos, o longa peca em sua duração, que poderia ter algumas tramas a menos, pois há demasiados personagens que não são tão bem desenvolvidos, nos fazendo criar pouco ou nenhum laço para com os mesmos. O final, contudo, que lembra vagamente o  de Gangues de Nova York, é visceral ao extremo, trazendo uma boa dose de violência e de certo modo, justiça.

Assim, esta nova produção vem como um bálsamo, mesmo para aqueles que, assim como eu, não sejam tão ávidos por dramas policiais, mas que não dispensam uma boa história. Vale a pena conferir e se deleitar com a rica produção de época e com esta particularidade histórica da Espanha que, não por acaso, é pautada por interesses políticos (atual, não é?!).



Título Original: La Sombra De La Ley

Direção: Dani De La Torre

Elenco: Luis Tosar, Michelle Jenner, Paco Tous, Jaime Lorente, Pep Tosar, Vicente Romero, Adriana Torrebejano, Ernesto Alterio, Fernando Cayo, Manolo Solo, Paula Del Rio, William Miller, José Manuel Poga, Fredi Leis.

Sinopse: Em 1921, anarquistas e a polícia se confrontam em Barcelona. E um policial faz jogo duplo para descobrir quem roubou armas que poderiam desencadear uma guerra civil.

Trailer:

Já conferiu a novidade? O que achou? Nos conte e não deixe de nos seguir nas redes sociais!

Eduarda Souza

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário