Crítica: Pets - A Vida Secreta dos Bichos (2016, de Chris Renaud e Yarrow Cheney)


Quem não ama, não mima e não faz tudo pelo seu bichinho de estimação? É aproveitando esse tema que engloba praticamente todo mundo, que o estúdio Universal e seu estúdio de animação Illumination trouxeram esse filme, que fora um grande sucesso. Pets - A Via Secreta dos Bichos vem da mesma equipe que ficou famosa ao produzir os dois Meu Malvado Favorito e o solo dos Minions. Desta vez, o foco é menos fantasioso e mais cotidiano. Pets fez  um estrondoso sucesso no mundo todo, sendo uma das 10 maiores bilheterias de 2016; tem uma continuação já garantida e reforça o time de animações infantis, visto que somente este gênero das animações e os filmes de terror estão se mantendo firmes como um todo até então. O que dizer desta produção, então?

Uma agradável surpresa. Pets se aproveita tanto da fofura dos animaizinhos quanto faz piadas com as manias deles e dos donos. E isto o tornou um dos filmes mais divertidos daquele ano. Depois da comédia Keanu abordar e tirar sarro com o amor que quase todos têm por gatinhos, Pets faz isso de maneira leve para toda família e abrangendo todas espécies de animais criadas em casa. Aqui, o roteiro foca nos bichinhos criados na sua maioria nos apartamentos do subúrbio nova-iorquino. Várias cenas hilárias satirizam o cotidiano dos donos com seus bichinhos, como por exemplo, um homem "fortão" típico de academia que se "derrete" ao chegar em casa e brincar com seu passarinho. Ou temos aqui cenas engraçadas, como por exemplo, o cãozinho que faz xixi de tão alegre quando o dono chega. É interessante como estas situações são de certa forma realistas e o filme explora isso de maneira divertida.


Temos aqui um roteiro que lembra o primeiro Toy Story, mostrando a relação de dois cães: um que já é de casa e que não aceita o segundo recém adotado; e o segundo que acaba de chegar e quer dominar o espaço. A relação de briga e amizade de Max e Duke lembra bastante a mesma relação de Woody e Buzz. Assim como que em Toy Story conhecemos o mundo dos brinquedos quando os humanos não estão próximos, aqui em Pets conhecemos o mundo dos bichinhos quando os donos não estão olhando. Os personagens são todos carismáticos, sem exceções; o que agradará à toda criançada e aos adultos que gostam de animações e não são exigentes. O roteiro é bem simples, o que pode desagradar a quem procura certa complexidade que algumas animações modernas tem proporcionado. Não espere uma moral profunda e madura como Zootopia e Divertida Mente, que são exemplos de animações que servem bem mais aos adultos do que crianças. Pets é mais infantil, divertidinho e colorido. É um filme com muitas piadas e aventura maluca, feito para entreter a criançada e ocasionar uma bela diversão em família. 


Mas algo que é preciso salientar é que mesmo assim, a produção faz o dever de casa em trazer algumas morais, como não maltratar os animais, compartilhar o que temos e sermos bons amigos. Além disso, mostra que não devemos abandonar nossos bichinhos de estimação. Depois que os adotamos e cuidamos, temos um compromisso e não podemos simplesmente descartá-los. O confronto entre os bichinhos domesticados e os animaizinhos abandonados mostra esta questão. A direção da dupla Chris Renaud e Yarrow Cheney é ótima, especialmente em dois momentos; o primeiro é nas cenas em que mostram a cidade, tornando a Nova York em animação tão palpável quanto a da vida real, com suas ruas, trânsito e sacadas. O outro momento é nas cenas de interação entre os bichinhos e seus donos, regadas de ternura e comédia, com cortes de câmera que sempre exploram bem a cena, em um estilo meio noir e às vezes com voyeurismo. 


Pets ainda conta com uma ótima trilha sonora, de clássicos a músicas pop bem recentes. Tem até a canção Happy do Pharrell Williams, que foi tema de Meu Malvado Favorito 2 e hit em 2014, curiosamente. Há uma cena que guarda um easter egg, uma propaganda para a próxima animação do estúdio, o musical Sing - Quem Canta Seus Males Espanta. Há várias piadas que fazem referência a clássicos do cinema, como Aliens. Os efeitos especiais da animação são definitivamente espantosos de tão bons. O CGI é de uma qualidade extraordinária, mostrando texturas, cores e tamanhos de pelos variados e realistas, inclusive com brilho, umidade quando molhado e solto ao vento. Neste quesito é uma animação perfeita. E o 3D vale muito a pena, pois em alguns momentos de ação temos várias cenas que saem da tela, como os ataques da cobra. Pets é uma bela homenagem aos nossos animaizinhos de estimação e declaradamente uma carta de amor à nossa vida com eles. Uma grande animação de 2016. 


Título Original: The Secret Life of Pets

Direção: Chris Renaud e Yarrow Cheney

Elenco: Vozes originais de: Kevin Hart, Lake Bell, Ellie Kemper, Jenny Slate, Louis C.K., Eric Stonestreet, Albert Brooks. Vozes dubladas de Danton Mello, Luis Miranda, Tatá Werneck e Tiago Abravanel.

Sinopse: Você já imaginou o que seu bichinho de estimação faz quando você não está em casa? Essa animação mostra justamente isso! Ao saber que ganhará uma nova companhia canina dentro de casa, o enciumado Max fará de tudo para que sua dona abandone Duke. Com ajuda do sarcástico Bola de Neve e da valente Gigi, os bichinhos viverão uma aventura e tanto e mostrarão para o público o que eles fazem para preencher os seus dias enquanto os donos estão fora de casa.

Trailer:


Obrigada pela leitura!!! Deixe seu comentário!

Minha Visão do Cinema

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário