Crítica: O Plano Imperfeito (2018, de Claire Scanlon)

Comédias românticas muitas vezes carecem de histórias originais. Quando começamos a assisti-las, sempre pensamos: "Isso aqui poderia ser diferente", mas, no fim, quase que sempre, caem nos clichês e não nos surpreendem. 

Aqui, em O Plano Imperfeito, temos dois assistentes, vividos por Zoey Deutch e Glen Powell, que cansados de sofrerem nas mãos dos mal amados chefes vividos por Lucy Liu e Taye Diggs, decidem tentar juntar os dois para que eles se dediquem a outras coisas além da carreira, e claro, com isso, fazer com que a vida dos assistentes seja menos atribulada. Só que os dois assistentes são jovens, bonitos, descobrem coisas em comum e... clichê à vista? Mas, sinceramente, isso é ruim?

Se transportarmos para nossas vidas, não seria uma delícia se encontrássemos o amor da nossas vidas num deslize? No acaso? Que aquele primeiro contato com certeza daria certo pro resto da vida (mesmo que com alguns percalços antes do felizes para sempre)? 

Mas, a vida acaba mesmo por ser mais Um Diário de Bridget Jones, não é?! Pois bem, nem sempre é um problema ser previsível e, aqui, em O Plano Imperfeito, temos um motivo extra para este não ser um problema: o elenco.


O elenco é composto por feras na arte da empatia com o espectador (Lucy Liu, Zoey Deutch e Glen Powell), e todos tão sintonizados, fazem a diferença.

O roteiro, infelizmente, não ajuda. Trata-se de um texto fraco e com pouquíssima qualidade narrativa, mas, o elenco surpreende e literalmente faz do limão uma limonada. Notando que estão diante de um roteiro que não fará a diferença, com bastante simpatia, fazem um filme que é uma delícia de se assistir. Como toda comédia romântica deve ser.

Claro que não podemos nos prender apenas nestes dois aspectos: roteiro e atuações. O filme acerta ao compor a loucura empresarial de pessoas que "não tem nada a perder", e mais ainda com o final que destaca a estes personagens. 

Curioso perceber, inclusive, como cada escritório representa um pouco da personalidade dos chefes e assistentes, e como os assistentes, inclusive, funcionam como um curioso contraponto da personalidade dos seus chefes.


O melhor, por fim, é perceber como um ambiente e pessoas tóxicas à nossa volta podem alterar nossa percepção, mas, jamais o que de fato somos. O filme pode não ser 100% original e tampouco genial, mas, é uma opção deliciosa, leve, descontraída de comédia romântica, e se você é fã do gênero, definitivamente deve assistir.


Título Original: Set It Up

Direção: Claire Scanlon

Elenco: Zoey Deutch, Glen Powell, Lucy Liu, Taye Diggs, Jon Rudnitsky, Meredith Hagner, Noah Robbins.


Sinopse: Harper (Zoey Deutch) e Charlie (Glen Powell) trabalham como assistentes para dois executivos em Manhattan. O temperamento e a dinâmica de seus chefes transformam suas vidas em um verdadeiro inferno. Desesperados e exaustos, os dois jovens se juntam para elaborar um plano um tanto quanto ousado: fazer com que os seus superiores se apaixonem e, dessa forma, fiquem mais tranquilos em relação ao trabalho.


Trailer:


E ai? Assistiram? Gostaram? Conta pra gente e não esqueça de nos seguir nas redes sociais ;)

João França

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário