Crítica: Renascido das Trevas (2015, de Valeri Milev)


Renascido das Trevas, começou a ser produzido há vários anos, se não me engano em 2012 porém, demorou a ser finalizado por conta da agenda do diretor Valeri Milev (que dirigiu outro filme de zumbi o Code Red de 2013 e o regular Pânico na Floresta 6 de 2014), somente este ano o filme foi lançado, sendo que no Brasil o mesmo chegou direto em home vídeo. O longa é uma produção da After Dark (produtora conhecida dos fãs de horror). O filme mistura o manjado e saturado 'found footage', com zumbis.

Crítica: Cooties - A Epidemia (2015, de Jonathan Milott e Cary Murnion)


Depois da excelente experiência que tive com Apocalipse, resolvi dar mais chances a outras produções envolvendo zumbis, então fiz uma maratona de filmes com esse tema, o resultado será apresentado nas críticas. Então vamos falar sobre esse Cooties - A Epidemia, lançado esse ano nos Estados Unidos, sendo provavelmente lançado no Brasil direto em DVD.

Crítica: Apocalipse (2015, de Miguel Ángel Vivas)


Depois do estrondoso sucesso da série The Walking Dead os zumbis voltaram a fazer sucesso e se tornaram o foco de várias outras produções que tentam pegar carona na popularização dos mortos vivos. Contudo, nem todas conseguem o mérito de serem tão boas quanto a citada série mas, sempre há exceções, como este Apocalipse (péssimo título recebido em território nacional) que se destaca em meio de tantas porcarias lançadas ultimamente.

SNACK #35: Tracers - Nos Limites (2015, de Daniel Benmayor)


Nessa edição das críticas Snacks faremos uma breve resenha do filme Tracers - Nos Limites. Na história acompanhamos Cam (Taylor Lautner) um mensageiro de bicicleta que está sendo perseguido por uma mafiosa gangue na cidade de Nova York. Em uma de suas corridas, ele conhece a misteriosa e sedutora Nikki (Marie Avgeropoulos). Os dois passam a conviver e ela apresenta a Cam o mundo do 'Parkour'. Agora, ele vai usar todas as suas novas habilidades para sobreviver.

SNACK #34: Escola de Espiões (2015, de Kyle Newman)


Essa é a edição 34 das críticas Snacks, que são opiniões bem breves de filmes, meio que parecido com aqueles lanches bem rápidos.

Crítica: Terremoto - A Falha de San Andreas (2015, de Brad Peyton)


Tempos atrás filmes de catástrofes eram sinônimos de sucesso e bilheterias. Impacto Profundo, Twister, O Inferno de Dante e O Dia Depois do Amanhã, são bons exemplos desse subgênero porém, com o passar dos anos esses tipos de produções perderam as forças. Com os avanços tecnológicos e a popularização dos efeitos de computação gráficas e óbvio com a falta de criatividade de 'Hollywood', esses filmes voltaram com tudo. Ano passado por exemplo, que me lembre foram lançados Pompéia e No Olho do Tornado e este ano tivemos esse Terremoto - A Falha de San Andreas, lançado em 28 de Maio de 2015 nos cinemas brasileiros.

Crítica: Lobos (2014, de David Hayter)


Bons exemplos de filmes envolvendo lobisomens são raros pois, não são todas as produções que conseguem acertar de forma satisfatória toda a mitologia desses seres tão amados do cinema. Recentemente assisti ao interessante Sinistro - A Maldição do Lobisomem, que aborda esse tema de um jeito diferente e original fora este, os últimos filmes que me lembro de ter gostado é o remake O Lobisomem de 2010 e o clássico Um Lobisomem Americano em Londres. Lobos, foi lançado em 2014 nos Estados Unidos e lançado somente este ano no Brasil direto em DVD, sendo distribuído pela Califórnia Filmes.

Crítica: Os Últimos Cavaleiros (2015, de Kazuaki Kiriya)


Muitas vezes as distribuidoras tentam vender determinadas produções como algo que elas não são, os recursos utilizados geralmente são os títulos, que principalmente no Brasil são os mais genéricos e chamativos possíveis e as capas, que curiosamente quando mais bem feitas e elaboradas mais ruim são os filmes, levando constantemente os mais ingênuos ao erro. Entretanto, isso não é regra, só comecei explicando isso porque eu acredito que todos já tenham passado por esse tipo de situação e isso meio que acontece com este filme pois, quem acaba se interessando por ele acha que irá assistir um filme de ação medieval com várias lutas envolvendo espadas, cavalos e etc., conforme a própria capa acima tenta passar porém, o filme não é exatamente assim.