Grandes Performances em 9-Kisses

Todo o ano a revista New York Times elabora um vídeo em situações diversas, dentro de um mesmo tema, sem diálogos com os atores que ganharam mais destaque no ano que passou. Para o ano de 2014 foi feito 9-Kisses com 18 atores em cenas de beijo. Benedict Cumberbatch e Reese Witherspoon; Steve Carell e Laura Dern; Rosario Dawson e Jenny Slate; Kristen Stewart e Chadwick Boseman; Patricia Arquette e Jason Schwartzman; David Oyelowo e Timothy Spall; Shailene Woodley e Jack O’Connell; Julianne Moore e John Lithgow; Gugu Mbatha-Raw e Miles Teller, são os atores que interpretam 9-Kisses dirigido por Elaine Constantine. Em minha opinião quem deu um show de interpretação neste curta foi Juallianne Moore e John Lithgow.


UM MARCO ESQUECIDO DO CINEMA DE ANTECIPAÇÃO

Discreto e eficaz, No mundo de 2020 (Soylent green, 1973), de Richard Fleischer, une ficção científica e investigação policial. Deixa de lado alienígenas monstruosos e aventuras espaciais para se ocupar com os rumos da Terra, degradada por consumismo desenfreado, descontrole populacional, desemprego maciço, degradação ambiental e crise alimentar. Realizado numa época anterior ao surgimento dos partidos verdes — quando os discursos sobre preservação de ecossistemas, tecnologias alternativas e desenvolvimento sustentado sequer estavam na ordem do dia —, No mundo de 2020 é, atualmente, um marco do cinema de antecipação, um grito de alerta compreensivelmente relegado a um injusto mas conveniente esquecimento. 




Oscar 2015: Livre (2014, de Jean-Marc Vallée, Indicado ao Oscar de Melhor Atriz e Melhor Atriz Coadjuvante)


Depois de um bom tempo de atuação em filmes de romance e comerciais da Avon, Reese Witherspoon mostra seu talento em 'Livre, um filme baseado em uma alto-biografia de Cheryl Strayed, uma escritora que decidiu fazer a trilha de Pacific Crest Trail (que atravessa todo os 'Estados Unidos') sem experiência nenhuma. Essa sua decisão de viver como mochileira é uma tentativa de amadurecer, endireitar a vida e superar a perda da mãe.

Oscar 2015: Para Sempre Alice (2014, de Richard Glatzer e Wash Westmoreland, Indicado ao Oscar de Melhor Atriz)


Baseado em um livro, o filme Para Sempre Alice traz um drama em que uma mulher de apenas 50 anos, enfrenta o terrível mal de Alzheimer, uma doença que provoca deterioração das funções cerebrais, como perda de memória, da linguagem, da razão e da habilidade de cuidar de si próprio. Um papel desses não é qualquer um que sabe interpretar, exige um esforço para demostrar todas as frustrações e raiva de uma pessoa nessa situação, uma pessoa que irá se tornar incapaz de ser ela mesma. Mas Julianne Moore não deixou a desejar e assim como ela já ganhou o Globo de Ouro, SAG, e o Bafta, é quase certo que ela ganhe o Oscar de Melhor Atriz.

SHREK PERDIDO NUM DIA DE GEORGE BAILEY

No clássico A felicidade não se compra (It’s a wonderful life, 1946), de Frank Capra, o personagem George Bailey (James Stewart) — desesperado com a precariedade e os excessos de responsabilidade da vida que leva — tem a existência anulada pelas artes de um anjo de guarda atrapalhado. Por maquinação do birrento e vingativo duende Rumplestiltskin, algo parecido acontece com Shrek na sua quarta aventura cinematográfica. Shrek para sempre (Shrek forever after, 2010) é um salto de qualidade em termos de agilidade e criatividade se comparado ao arrastado e aborrecido Shrek terceiro (Shrek the third, 2007), de Chris Miller e Raman Hui. Por outro lado, é bom saber: nem só de comentários de filmes sisudos se alimenta este blog.


Oscar 2015: Caminhos da Floresta (2014, de Rob Marshall, Indicado a Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Figurino)

Todos nós sabemos que não é de hoje que o meio cinematográfico se interessa em transformar os famosos musicais, apresentados na Broadway, em animações ou filmes. Como por exemplo, temos O Rei Leão, um dos desenhos mais tristes e belos já feito, ganhador de apenas 2 Oscar. E o filme Chicago de 2002 dirigido por Rob Marshall, ganhador de 6 Oscar incluindo melhor filme. E agora este mesmo diretor volta com outra peça adaptada para o cinema: 

Top 10: Músicas de Filmes de 2014

Minha categoria favorita no Oscar é melhor canção original. Este ano temos I'm Gonna Miss You, Gratful, Everything Is awesome e Lost Stars. Mas esta lista contém as músicas que não foram para o Oscar, mas ganharam fama através dos filmes.

10) Yellow Flicker Beat - Lorde (Jogos Vorazes -A Esperança Parte 1)





Crítica: O Destino de Júpiter (2015, de Andy Wachowski e Lana Wachowski)


Assisti no cinema noite passada um dos grandes lançamentos do ano, a ficção científica O Destino de Júpiter. O filme que já é um dos mais caros do ano por enquanto está com bilheteria bem fraca, marcando assim um fracasso. Também vem recebendo críticas negativas, com apenas 20% ou 30% de aprovação dos principais meios de notas de cinema. Acontece que O Destino de Júpiter é de fato um filme para poucos, porém com orçamento para muitos. Um filme que poderia ser melhor se aprofundasse nas discussões lançadas, mas que por motivos comerciais é apenas mais um blockbuster, mais um filme caro, com grandes efeitos especiais e que visava ganhar muito dinheiro.

Oscar 2015: O Juiz (2014, de David Dobkin, indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante)


O Juiz é um drama que acabou sendo esnobado pela academia do Oscar, concorrendo apenas a Melhor Ator Coadjuvante para o veterano Robert Duvall, um dos gigantes do cinema. Na emocionante trama vemos uma mescla de dois tipos de filmes. Um seria os dramas e suspense de tribunal, um estilo que inclusive foi moda nos anos 90. Filmes que acompanham o desenrolar dos processos jurídicos, ao mesmo tempo em que mostram os bastidores, os dramas pessoais e algumas reviravoltas. O outro tipo de filme que O Juiz mistura seria a jornada do homem bem sucedido financeiramente da cidade grande, mas com a vida pessoal destruída; que volta à sua pequena cidade natal, da qual ele fugiu e odeia, para assim por fim à situações mal resolvidas de seu passado, como problemas na família e o amor perdido da juventude. Pois o grande trunfo de O Juiz é justamente fazer a união destas duas temáticas.

Oscar 2015: 'Foxcatcher - Uma História que Chocou o Mundo' (2014, de Bennett Miller, indicado a 5 Oscar, incluindo Melhor Ator)


Foxcatcher - Uma História que Chocou o Mundo é um dos mais elogiados filmes do ano e concorre a 5 Oscar, que incluem: Melhor Ator para Steve Carrel, Melhor Ator Coadjuvante para Mark Ruffalo, Melhor Diretor para Bennet Miller, Melhor Roteiro Original e Melhor Maquiagem e Penteado. Por um lado o filme tem vários méritos e narra uma história real um pouco diferente, sobre um crime que ocorreu em um ambiente incomum. De outro lado é um filme parado, quase chato, que poderia ser bem melhor do que realmente foi. Dentre os filmes do Oscar deste ano, Foxcatcher aparece como o menos bom.

Oscar 2015: Planeta dos Macacos - O Confronto (2014, de Matt Reeves, indicado ao Oscar de Melhores Efeitos Visuais)


Um dos mais importantes blockbusters de 2014, sucesso de bilheteria, cerca de 96% de aprovação da crítica e uma indicação ao Oscar 2015 de Melhores Efeitos Visuais. Este são alguns dos frutos de Planeta dos Macacos - O Confronto. O filme poderia fácil concorrer a Melhor Fotografia, Melhor Montagem e até mesmo a Melhor Filme (se Avatar e Distrito 9 puderam, porquê este não?). Se Planeta dos Macacos - A Origem já havia surpreendido em 2011 por recomeçar a saga de maneira séria, realista, emocionante e com impressionantes efeitos visuais, esta continuação ganha pontos por superar todas estas qualidades do filme anterior. Planeta dos Macacos - O Confronto aumenta o dilema, as dificuldades, a grandiosidade da trama e as críticas político-sociais. Um filme e tanto, completo e envolvente.

Oscar 2015: A Teoria de Tudo (2014, de James Marsh, indicado a 5 Oscar, incluindo Melhor Filme)


Muito provavelmente você já ouviu falar, talvez até mesmo seja um admirador de Stephen Hawking, gênio, cientista e astrofísico que foi diagnosticado com ELA (esclerose lateral amiotrófica), mas que superou diversos obstáculos físicos e continua em plena atividade; sendo um exemplo de vida. Concentrado na fase inicial de sua vida e no surgimento da doença, A Teoria de Tudo mostra o lado mais íntimo do gênio. Um filme de uma delicadeza única, obrigatório para qualquer um assistir. Indicado a 5 Oscar, que incluem Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Ator para Eddie Redmayne, Melhor Atriz para Felicity Jones e Melhor Trilha Sonora.

Oscar 2015: O Jogo da Imitação (2014, de Morten Tyldum, indicado a 8 Oscar, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção)


O Jogo da Imitação foi uma das grandes surpresas de 2014. Com um diretor pouco experiente, uma história real pouco conhecida e com uma atuação gigantesca do relativamente novo Benedict Cumberbatch, o filme alcançou 8 indicações ao Oscar e se tornou um dos mais elogiados do ano. As categorias em que concorre são: Melhor Filme, Melhor Direção para Morten Tyldum, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Ator para Benedict Cumberbatch, Melhor Atriz Coadjuvante para Keira Knightley, Melhor Trilha Sonora para o competente Alexandre Desplat, Melhor Montagem e Melhor Direção de Arte. E o filme realmente é muito bem feito, competente em cada aspecto. Apenas achei que faltou algo para me empolgar mais, senti que faltou algo para me prender de vez à história. Mas isso não tira os méritos do longa.

Oscar 2015: Sniper Americano (2014, de Clint Eastwood, indicado a 6 Oscar, incluindo Melhor Filme)


Sniper Americano vem como um polêmico filme do Oscar. Dirigido pelo competente ator e cineasta Clint Eastwood (veterano dos tempos de faroeste), que já nos entregou os ótimos Menina de Ouro e A Troca, este novo filme chega como um sucesso inesperado de bilheteria. Lá nos Estados Unidos o filme liderou bilheteria por três semanas! Mas vem causando falatório pelo patriotismo impregnado, por uma cena onde vemos um boneco no lugar de um bebê e por estas razões as injustas indicações ao Oscar. O filme concorre em 6 categorias, que incluem Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Ator para Bradley Cooper, Melhor Montagem, Melhor Edição de Som e Melhor Mixagem de Som. Destas, as três últimas até que são merecidas sim. O filme não é tão ruim quanto dizem, apenas é mais um filme sobre a guerra ao terror.

Oscar 2015: Garota Exemplar (2014, de David Fincher, indicado ao Oscar de Melhor Atriz)


Se houve um suspense que marcou 2014 e foi o mais comentado em todos os veículos de comunicação do mundo cinéfilo, este filme foi Garota Exemplar. Esnobado pela academia do Oscar, o filme concorre apenas em uma categoria, a de Melhor Atriz para Rosamund Pike. O filme tinha condições de concorrer pelo menos a Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Direção para David Fincher e Melhor Montagem. A obra é arrebatadora, de não sair da mente por dias após ter assistido.

Oscar 2015: O Abutre (2014, de Dan Gilroy, indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Original)


Pode-se dizer que O Abutre foi um dos esnobados do Oscar 2015. Um dos melhores filmes do ano, um dos dois melhores suspenses e com uma dura crítica atual, o filme concorre apenas a um Oscar de Melhor Roteiro Original. Esta única indicação é mais do que merecida, mas o filme tinha potencial de concorrer pelo menos a Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Montagem e sem dúvidas a Melhor Ator para Jake Gyllenhaal. A falta da indicação para Gyllenhaal será lembrada pelos cinéfilos como um grande erro por parte da academia. Depois de atuar bem em outro suspense, o bom O Homem Duplicado, Jake Gyllenhaal nos deixa de boca aberta com seu personagem arrebatador.

Oscar 2015: X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (2014, de Bryan Singer, indicado ao Oscar de Melhores Efeitos Visuais)


Voltamos com outra crítica muito atrasada. X-Men: Dias de um Futuro Esquecido foi um dos maiores sucessos de bilheteria e crítica do ano passado. O oitavo filme dos mutantes surpreendeu por não cair na mesmice, reinventando e consertando toda a saga. Os dois primeiros filmes foram os mais marcantes, na mão de um cineasta que fez desta fantasia uma ótima crítica social. O nome deste cara é Bryan Singer. O terceiro teve um novo diretor que fez um filme divertido, mas pôs um fim amargo em alguns personagens. Tivemos após isso um filme solo do Wolverine, que não agradou a quase ninguém e é duramente criticado. Em 2011 e nas mãos de Matthew Vaughn tivemos um reinício glorioso, com um filme inteligente e um jovem elenco de primeira. Em 2013 tivemos a segunda aventura solo de Wolverine - Imortal; que foi bem melhor que a primeira e nos preparou para este novo capítulo. Então finalmente chegamos em 2014, com um filme que acertou em cheio em reunir todo o elenco da saga: os antigos e os novos atores e personagens.

Oscar 2015: Birdman (2014, de Alejandro González Iñárritu - indicado a 9 Oscar, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção)


Birdman é um dos favoritos ao Oscar 2015, com 9 indicações, sendo elas: Melhor Filme, Melhor Direção para Alejandro González Iñárritu, Melhor Roteiro Original, Melhor Ator para Michael Keaton, Melhor Ator Coadjuvante para Edward Norton, Melhor Atriz Coadjuvante para Emma Stone, Melhor Fotografia, Melhor Edição de Som, e Melhor Mixagem de Som. Com todas estas indicações muito merecidas, o filme fala sobre o retrato sujo de se fazer arte, o lado negro de atores decadentes, a necessidade de se manterem vistos, em meio à duros críticos de cinema e papéis que já não ganham mais destaque. Birdman é um daqueles filmes brilhantes que fala sobre cinema. E isso tudo é tratado como uma grande comédia adulta, um filme assumidamente de humor negro.

Oscar 2015: O Grande Hotel Budapeste (2014, de Wes Anderson, indicado a 9 Oscar, incluindo Melhor Filme)


Há algo de muito mágico nos filmes de Wes Anderson. Suas obras são originais, autorais e carregadas de um humor negro brilhante! A animação O Fantástico Senhor Raposo foi interessante, diferente e não tão infantil assim. Mas foi com o brilhante Moonrise Kingdom que passei a ser fã do cineasta. Mas eis que agora o diretor faz o seu trabalho mais inteligente e perfeccionista. O Grande Hotel Budapeste é um filme genuíno, extremamente original e diferente de tudo que você já viu! E merecidamente esta obra de arte foi reconhecida, concorrendo a 9 Oscar: Melhor Filme, Melhor Diretor para Wes Anderson, Melhor Roteiro Original, Melhor Trilha Sonora de Alexandre Desplat, Melhor Fotografia, Melhor Figurino, Melhor Montagem, Melhor Direção de Arte e Melhor Maquiagem e Penteado.

Oscar 2015: Invencível (2014, de Angelina Jolie, indicado a 3 Oscar)


Este é o segundo longa dirigido por Angelina Jolie e está sendo indicado em três categorias do Oscar: Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhor Fotografia. As três indicações são merecidas, embora dificilmente saia vitorioso. Apesar do sucesso de bilheteria e destas indicações técnicas no Oscar, Invencível tem sido criticado negativamente como um filme patriota e errôneo, tendo ganhado aprovação de apenas 45% da crítica. Embora realmente seja um tanto patriota, considero o filme bom. Talvez não digno de ganhar Oscar, mas com qualidades suficientes para torná-lo uma boa sessão.

Oscar 2015: Os Boxtrolls (2014, de Anthony Stacchi e Graham Annable, Indicado ao Oscar de Melhor Filme de Animação)


O fato de serem desenhos, o gênero de filmes focado nas crianças, não impede a produtora Laika de dar um ar sombrio em suas animações, como fizeram em ParaNorman. Mas também seus desenhos possuem muito humor dando uma descontraída e deixando-os mais light. E é sempre bom ver um desenho inteligente e focado em problemas reais do nosso dia a dia como os Os Boxtrolls.

Oscar 2015: Como Treinar o Seu Dragão 2 (2014, de Dean DeBlois, indicado ao Oscar de Melhor Animação)


Na nossa cobertura do Oscar 2015, falaremos agora de um imenso sucesso de 2014. A esta altura quem queria realmente ver o filme já assistiu e pedimos perdão pelo atraso da matéria. Por isso não iremos nos delongar demais. Mesmo assim, Como Treinar o Seu Dragão 2 não deve passar despercebido. Indicado a 1 Oscar de Melhor Animação, este deverá ser o grande vitorioso. Se no primeiro filme já nos identificamos pela história e torcemos por Banguela e Soluço, nesta ousada continuação vemos que a história dá um salto imenso.

Oscar 2015: Whiplash - Em Busca da Perfeição (de Damien Chazelle, indicado a 5 Oscar, incluindo Melhor Filme)


Há filmes para o grande público, carregados de efeitos especiais e ação. Podemos pegar por exemplo os filmes de super heróis atuais. E há aqueles filmes modestos e de conteúdo mais filosófico e reflexivo, muitas vezes visando o Oscar, como o atual Birdman. Mas em momentos raros e únicos do cinema, recebemos um filme com um tema simples, porém executado com uma maestria ímpar. Assim nascem clássicos cults. E Whiplash - Em Busca da Perfeição é um excelente cult moderno. Poucas vezes na vida vimos um filme executado de maneira tão incrível. A trama é aparentemente simples, um jovem querendo se tornar um grande baterista de uma banda de jazz, mas para isso terá que superar as expectativas do seu instrutor linha dura. Mas o filme acaba sendo muito mais do que isto.