UM BOM FILME QUE VOCÊ NUNCA OUVIU FALAR



  O nome do diretor/produtor desse filme já é por si só um tanto desconhecido aqui no Brasil. Tyler Perry, mais famoso por suas comédias (que por alguma razão nunca se tornaram tão populares por aqui como são nos Estados Unidos, por exemplo) é quem dirige, roteiriza e produz esse bom drama lançado em 2010, com grandes nomes que entregam grandes interpretações.


  O filme em questão é For Colored Girls (algo que podemos traduzir aproximadamente como “Para Garotas de Cor”) que nunca viu a luz do sol da distribuição aqui no Brasil até hoje, no cinema ou nas (à beira da extinção) vídeo locadoras. Sinceramente eu não entendo o porquê. O filme foi bem de bilheteria em sua casa (os Estados Unidos). Afinal, qualquer produção que arrecada só em casa quase o dobro do seu orçamento não pode ser considerado um fracasso (custou $21 milhões e arrecadou algo próximo dos $38 milhões). Mas lamentos à parte, vamos vagar pelos pontos positivos desse filme que nunca chegou até nós.



  Nós acompanhamos os dramas das vidas de oito mulheres que lidam com questões como o aborto, a AIDS, o papel de “amante”, a promiscuidade, o estupro, a infertilidade, a violência doméstica e a abordagem cega e doentia da religião. Tudo é nos mostrado de forma poética (o filme em si é baseado em um livro que é composto por uma coleção de poemas) e eficazmente emocionante graças ao seu elenco de peso. Temos Anika Noni Rose (de Dreamgirls e A Princesa e o Sapo), Kerry Washington (do recente Django Livre), Whoopi Goldberg (que dispensa apresentações) e até mesmo, vejam só, a irmã do rei do POP Michael Jackson, Janet Jackson, que para minha total surpresa fez um excelente trabalho.


  No seu lançamento muito se falou de múltiplas indicações ao Oscar na categoria Atriz Coadjuvante para essa aqui e essa ali, porque todas estão mesmo incríveis, mas nada seguiu em frente. O filme teve uma recepção mediana dos críticos e realmente, para mim, só conta com um considerável ponto negativo: Seu excesso de dramaticidade por vezes. Pode parecer com um novelão mexicano em alguns minutos (poucos), mas quem se importa quando em seguida teremos um monólogo de arrepiar a alma outra vez ou algum embate de primeira entre atrizes?


  Muitas lágrimas escapando de olhos, muitos gritos, muitos textos inspiradores recitados. Tudo, tudo o bastante para compensar um roteiro que pode às vezes se apoiar em soluções cínicas demais (como boa parte dessas mulheres morarem justamente no mesmo prédio). Bom, eu não estou autorizado a fazer apologia à pirataria (risos nervosos), então não irei sugerir que procurem o filme pela internet e baixem (atualmente ele está completo e legendado no Youtube... Só estou dizendo...), mas que tal talvez dar uma passada no E-bay ou na Amazon, por exemplo, e adquirir o seu DVD/ Blu-Ray? Eu recomendo. Pode ser “dramalhão” em alguns momentos? Sim! Mas nunca deixará de ser honestamente tocante.  


NOTA: 8

TRAILER:



O Livro, a coleção de poemas que inspirou o filme:


Galeria dos super estilizados posters para o filme:





Mágico de Oz

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário