Crítica: Lúcia e o Sexo (2001)



Direção: Julio Medem

Elenco: Paz Vega, Tristán UlloaNajwa Nimri, Daniel Freire, Elena Anaya, Silvia Llanos, Javier Cámara.

Sinopse: Lucía (Paz Vega) é uma jovem garçonete em meio a uma relação ardente e conturbada com um escritor chamado Lorenzo (Tristán Ulloa). Mas ele desaparece às vésperas de uma viagem do casal para uma ilha no mediterrâneo, há muito esperada. Perturbada, Lucía parte só. Sob o sol tropical, numa idílica pousada, ela mergulha em si mesma e no tempo para decifrar suas paixões encontrando a cada dia rascunhos de lembranças perdidas e de personagens do romance de sua vida.


Trailer:



De dois meses para cá ando embarcando no cinema espanhol. Já vi ótimas produções como Tres Metros Sobre El Cielo, a sua continuação Tengo Ganas de Ti, o polêmico 100 Escovadas Antes de Dormir, entre outros. Agora chego até este Lúcia e o Sexo, considerado um dos mais sexy's filmes vindo de origem hispânica.


Foi um filme sensação em festivais europeus lá em meados de 2001. E com razão. Apresenta um bom roteiro (bem confuso, original e melancólico como os europeus gostam). O elenco arrasa tanto nas interpretações como no desempenho físico, até porque acredito que fazer as cenas deste tipo de filme não deve ser fácil. Por que digo isso?

Ora, simplesmente porque realmente o filme é pesado. Tem cenas de sexo explícito, masturbação, nudez frontal de genitais total, entre outras coisas! Não é um filme para menores de idade. Mas se você pensa que o filme é apenas isto, mero engano. Com um conteúdo de primeira classe, o filme aposta em delírios de um escritor e seus amores e segredos, dando direito à brincar com sua mente. O roteiro aposta no fato do escritor dar o rumo que quiser à sua história. Isso acaba levando o telespectador à uma poética viagem cinematográfica. Regada em sexo, claro. Outro fator que não pode passar despercebido é a linda fotografia, além de inúmeras cenas puxadas para um tom azul.



Claro que entre os pontos negativos, o roteiro confuso e longo acaba em alguns momentos distanciando você que está assistindo o filme. Nunca se sabe ao certo em que momento a história está se passando. As fortes cenas de sexo e desejos também distraem você de todo o drama do roteiro. 

Por fim eu falo do ponto que irá chamar a atenção de muitos: a bela Paz Vega. Acho ela uma das mais lindas atrizes da atualidade. Ao lado de Salma Hayek e Penélope Cruz, são as 3 hispânicas mais lindas do cinema. Delírio para os olhos. Além de talentosas, é claro.

Mesmo perdendo o foco em alguns momentos, Lúcia e o Sexo é um filme ousado, de roteiro "quase" ótimo e com a presença de uma atriz não tão conhecida, mas bela e corajosa por desempenhar este papel polêmico. Um filme para amantes de cinema europeu, mais especificamente os melodramas sensuais espanhóis. 


NOTA: 8,3

Bônus:
Conheça a atriz Paz Vega, uma de minhas favoritas e uma das mulheres mais lindas do planeta.

  
  

  


O Vigilante da Noite

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário