Crítica: Acrimônia (2018, de Tyler Perry)


Acrimônia: estado ou qualidade do que é acre, azedo; acridão, acridez, acritudeModo de agir de quem é indelicado, áspero, mal-humorado; aspereza. 

Logo, somos seduzidos pelo título do filme, um título que chama a atenção do público. Mas no instante que estamos ali, assistindo ao filme, a mescla desses significados se misturam dentro de um caldeirão de horrores com as maiores peripécias estapafúrdias vistas do cinema deste ano. O que posso dizer, inicialmente, é que o filme é acre, é azedo, tem muita acridão, excesso de acridez, indelicado para quem separou duas horas para assistir a trama.

Melinda (Taraji P. Henson) é uma mulher fiel, que ama seu marido Robert (Lyriq Bent) e faz de tudo para o ver feliz, o alimentando no grande projeto científico de sua vida, desde a juventude. Cansada das tentativas falhas deste sonho e vendo Robert ainda em casa sem qualquer tipo de emprego fixo, Melinda se vê perto de um colapso emocional ao ponto de ficar totalmente sem condições de vivência e supostas traições do marido. Com apoio de suas irmãs Brenda (Ptosha Storey) e June (Jazmyn Simon) decide se divorciar de Robert. No entanto, a vida de Robert começa a tomar um rumo crescente e as promessas feitas para ex-esposa começam a se concretizar, mas agora, é noivo de Diana (Crystle Stewart), e Melinda não suporta toda mudança de vida do ex-marido e buscará vingança custe o que custar.


Sim, é confusa assim mesmo toda a trama. Tyler Perry não consegue, em momento algum, deixar clara qual a mensagem que ele queria passar. Afinal de contas, Acrimônia é uma história que aborda a amargura de uma mulher em seu relacionamento cansativo, ao ponto de se queixar totalmente de suas realizações frustradas, culpando a si mesma e assim busca uma vingança absurda ou está alertando sobre um possível protesto contra os homens que sugam a energia de suas companheiras tirando proveito da situação em que se encontram? 

Tudo é muito dúbio, não há uma clareza nesse quesito e há grandes desconexões que caminham dentro da própria história com um rumo melancólico, sem contar o total despreparo na montagem e escala de atores na passagem temporal dos fatos, com grosseiras escolhas para interpretações e o horripilante chroma key em algumas tomadas externas que beiram ao total ridículo, ao ponto de lembrar do famoso e pior filme de todos os tempos, The Room.


O que poderia se sobressair muito bem era mesmo a qualidade que parte do elenco podia transparecer. Até notamos algum esforço de Taraji em seu papel, exalando todo o tipo de ódio, acidez e revolta que a personagem, entre cigarros e stalkers, necessita, e mesmo que possa parece caricato demais (não sabemos se é proposital), ela consegue demonstrar o seu talento (não é à toa que foi indicada ao Oscar) como em uma das cenas inciais do filme, na qual se encontra no consultório de sua psicóloga em um plano sequência bem trabalhando até certo ponto, diria admirável até, porém não passa de meras ilusões para o fiasco que está por vir. Crystle Stweart e Lyriq Bent até convencem em seus papéis e mostram um potencial que poderia ser bem mais trabalhado. Já o restante, é melhor nem eu começar a falar...


Acrimônia é um filme extemporâneo que tentou abordar um assunto de cunho social bastante delicado e altamente reflexivo, porém o cômico "pastelão" esvaneceu a trama e revelou a total preguiça de Tyler Perry de trabalhar de maneira sucinta dos fatos. Um filme totalmente desequilibrado, sem pé e nem cabeça, com um terceiro ato totalmente fugaz e fora de contextualidade  com os fatos apresentados, digno de altas gargalhadas. Sem qualquer tipo de aprofundamento nas escolhas da protagonista e nas consequências que poderiam criar algo menos perfunctório, o filme deverá ser presença certa no Framboesa de Ouro em diversas categorias ano que vem.




Título Original: Acrimony

Direção: Tyler Perry

Elenco: Taraji P. Henson, Danielle Nicolet, Jazmyn Simon, Lyriq Bent, Ajiona Lexus, Crystle Stewart, Antonio Madison e Ptosha Storey

Sinopse: Melinda (Taraji P. Henson) sempre foi uma esposa fiel, porém, cansada de ficar ao lado de seu marido preguiçoso, Robert (Lyriq Bent), se divorcia quando ele faz com que ela perca a casa de sua família. Meses depois, Melinda descobre que seu ex-marido ficou rico e está noivo de outra mulher. Sentindo que ele deve a ela todo o tempo e dinheiro que ela investiu quando estavam juntos, ela perde o controle e vai atrás de vingança. 

TRAILER:

Fagner Ferreira

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário