Crítica: The Titan (2018, de Lennart Ruff)


O gênero de ficção científica no cinema é daquele tipo que arrebata muitos cinéfilos, pois as milhares de possibilidades que a ciência permite desenvolver são um prato cheio para películas de todos os tons. E como amante deste gênero, sempre quando há oportunidade, confiro o que de novo temos por aí, pois é sempre bom se deliciar com mais do tema.

Com o advento do serviço de streaming oferecido pela Netflix, fica ainda mais fácil de conferir tanto títulos antigos, quanto títulos recentes, principalmente aqueles lançados pela própria plataforma. Entretanto, ao passo que a Netflix vem nos bombardeando de títulos novos de todos os gêneros possíveis, a qualidade dessas obras vem se mostrando cada vez mais questionável, com ideias boas sendo grandemente mal aproveitadas. E infelizmente, este é o caso do recém-chegado ao catálogo, The Titan.

Com um elenco recheado com grandes nomes, como Sam Worthington (Avatar, Fúria de Titãs), Taylor Schilling (Orange is The New Black), Nathalie Emmanuel (Game of Thrones), Noah Jupe (Extraordinário), entre outros, The Titan vem com uma premissa já bem 'batida', mas com um aditivo deveras interessante: o planeta Terra já não é um lugar para que o ser humano habite, então os cientistas passam a considerar que Titan, a maior lua de Saturno, será o novo lar para a raça humana. Entretanto, para que os humanos possam viver neste local, é necessário que ocorra um aprimoramento de toda a genética humana, com inserção de alguns genes animais, melhora na capacidade de respiração, visão, entre outros. Nosso protagonista, Rick Janssen (Sam Worthington), é um militar que se candidata, juntamente com outros para esta missão, que afetará grandemente, não só sua vida, mas a vida de sua esposa, Dra. Abi Janssen (Taylor Schilling), uma pediatra renomada que decide segui-lo, e seu filho Lucas Janssen (Noah Jupe).


E até aí tudo bem. Mesmo se desenvolvendo de forma um pouco vagarosa e até mesmo com clichês e roteiro um tanto quanto preguiçoso, o primeiro e segundo ato prendem. Prometem uma reviravolta interessante e instigam. E olha que a atuação de Taylor Schilling não é lá grandes coisas, mas ignorando um ponto ou outro, o filme realmente parece ser uma obra que ficará na memória...


E aí, vem o terceiro ato. Destaco, que ele sozinho não é o responsável por deixar que todo o filme seja ruim, mas ele é um dos grandes fatores. Janssen, juntamente com Tally Rutherford (Nathalie Emmanuel), são os únicos que conseguiram passar por todas as etapas do experimento e obtiveram o tão almejado melhoramento humano proposto pelo cientista Martin Conllingwood (Tom Wilkinson). Contudo, o experimento trouxe sérios danos para os militares, que agora estão sem a consciência humana que tinham, e como previsto pela Dra. Janssen, abrigam algo dentro de si que os próprios cientistas não puderam prever, o que os tornam letais.



A solução para este impasse é a mais preguiçosa e mal pensada possível. Há uma carnificina desnecessária e um 'final feliz' grotesco. The Titan mostra que uma ideia boa, se não for bem desenvolvida, pode ser um fracasso. O desagrado ao final da película é grande, pois tem-se a sensação de tempo desperdiçado e enganação das grandes.


Mais uma vez, é possível notar que as recentes produções da Netflix, vem sendo apresentadas aos consumidores com qualidade duvidosa, como que quem faz um trabalho às pressas ou ainda que não se importa de entregar qualquer coisa. Não há um refinamento para, de fato, produzir bons materiais. Até aqueles já existentes, que a empresa adquire no catálogo, e passa a administrar, perdem a qualidade após essa mudança de administração.

The Titan é um entretenimento mediano, com um elenco muito bom, mas mal aproveitado, fotografia, cenários, efeitos visuais muito bons, mas mal aproveitados, que não cumpre o que promete ou o que nos faz pensar em prometer. Uma boa ideia muito desperdiçada.


Título Original: The Titan

Diretor: Lennart Ruff

Elenco:  Sam Worthington, Taylor Schilling, Nathalie Emmanuel, Agyness Deyn, Noah Jupe, Diego Boneta, Aleksandar Jovanovic, Corey Johnson, Aaron Heffernan, Naomi Battrick, Alex Lanipekun, Nathalie Poza, Naomi Battrick.

Sinopse: Num futuro não muito distante, uma família ligada às forças armadas aceita fazer parte de um programa científico secreto. Eles são realocados para o espaço e vão participar de uma experiência inovadora de evolução genética do ser humano.

Trailer:



E aí, já assistiu a este filme? Concorda com a crítica? Não esqueça de comentar e nos seguir nas redes sociais :D

Eduarda Souza

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário