Crítica: Desejo e Reparação (2007, de Joe Wright)



Esse filme é uma belíssima adaptação do livro Reparação, de Ian McEwan, e dirigida por Joe Wright, também diretor de outros títulos famosos como Anna Karenina, Orgulho e Preconceito, O Solista, Peter Pan, Hanna, Black Mirror, entre outros. Desejo e Reparação recebeu, em 2008, o Globo de Ouro na categoria de Melhor Filme - Drama, e venceu o Oscar de melhor trilha sonora, além de também ter sido indicado nas categorias de melhor filme, melhor roteiro adaptado e melhor atriz coadjuvante para Saoirse Ronan.


Essa história existe para quebrar quaisquer clichês do universo do romance, pois estamos condicionados ao mesmo de sempre: mocinho e mocinha indo do céu ao inferno para ficarem juntos, tendo tudo para não ficar, mas nos últimos 5 minutos de filme o plot twist é sempre o de final feliz. Gostando ou não, um final feliz é tudo que queremos, e, quando não o temos, como talvez possa ser o caso de Desejo e Reparação, ficamos até atordoados, desacreditados e desolados.




O filme tem como plano de fundo a Inglaterra nos anos 30 - qual fora incrivelmente bem construída, desde as locações, figurinos e comportamento dos personagens - e vai nos contar história de um casal que tornou-se trágica após as intromissões de uma garota de 10/11 anos. O filme toma corpo após essa garota, Briony (Saoirse Ronan), que sonha em ser escritora e que até já produziu algumas peças, junta sua imaginação fértil, criativa e romancista com suas falsas memórias, que, para quem não sabe, é um termo usado na psicologia para as informações que são armazenadas na memória sem que tenham realmente acontecido ou acontecido de forma sugestiva, embora sejam recordadas como se de fato tivessem sido vivenciadas.




Certo dia, Robbie (James McAvoy), namorado de Cecília (Keira Knightley), irmã de Briony, pede a garota que entregue a irmã uma carta de teor completamente obsceno, até aí não vemos problema algum, porém, Briony, com toda a sua curiosidade, lê a carta e fica horrorizada. A partir dali, nunca mais foi a mesma em relação a Robbie. No mesmo dia, Briony presencia uma cena de sexo dele com a irmã, no entanto, tem para si que Robbie estava abusando de Cecília. Como ninguém conversa com a garota sobre o ocorrido, ela passa achando que o namorado da irmã não passa de um pervertido. E é aqui que chegamos no nosso segundo problema. 

Já não bastasse ter presenciado a irmã em tal ato, ainda, no mesmo dia, acaba presenciando sua prima, Lola, sendo estuprada por um homem, qual ela viu apenas rapidamente, pois, assim que os vê, dá um grito e o homem saí correndo. A casa cercada de policiais, Lola (Juno Temple) não acusa ninguém, então, quando Briony é questionada pela polícia, sem ter muita certeza do que viu e de quem viu, é induzida a forçar sua memória, o que acarreta nas consequências de falsas memórias, logo, ela faz a ligação dos ocorridos com sua irmã e deduz que Robbie é o sujeito que estuprou sua prima. Diante dos falsos fatos expostos, Robbie é preso e mais tarde é obrigado a alistar-se no exército britânico para lutar na 2ª Guerra Mundial como alternativa ao cárcere, interrompendo sua história de amor com Cecília, que, a partir desse dia, prefere romper os laços com sua irmã, Briony.



O filme é longo e tudo que fora supracitado é apenas o primeiro ato, que, a partir dele é quando o filme realmente começa a se desenvolver. A construção dos acontecimentos, dos personagens, dos lapsos temporais são feitos de forma extraordinária. Não temos um furo, um deslize, um ponto negativo, e se teve, facilmente passou despercebido devido ao primor de tudo que envolve esse filme; todo o longa teve seu devido cuidado para ficar o mais próximo da época, dos acontecimentos e claro, do livro. 

Temos fortes nomes nesse elenco, como Keira Knightley (Anna Karenina, A Duquesa), Saoirse Ronan (Lady Bird, O Grande Hotel Budapeste), James McAvoy (Amor e Inocência, X-Men), Romola Garai (Um Dia, As Sufragistas), Vanessa Redgrave (Cartas Para Julieta, Garota, Interrompida), Juno Temple (Batman - O Cavaleiro das Trevas, Sedução), Benedict Cumberbacth (Doutor Estranho, O Jogo da Imitação, Sherlock); um elenco de peso que, como já era de se esperar, não peca em momento algum em transmitir todo o necessário para um filme que beirou à perfeição.  



A trilha sonora não pode deixar de ser mencionada, afinal, foi graças à ela que essa obra levou para casa uma estatueta do Oscar. Toda composta por Dario Marianelli - também compositor de inúmeras outras trilhas, como Anna Karenina, V de Vingança, Orgulho e Preconceito, Comer, Rezar e Amar, etc. -, que nos faz perceber que o som é um elemento tão essencial para a construção do sentido de um filme, não se limitando, portanto, a ser somente algo que acrescenta, mas sim, algo tão importante quanto qualquer outro elemento. Aqui, chega a ser surreal em como a composição foi introduzida nas cenas de forma majestosa, tornando-se um único som, como, por exemplo, ruídos continuados por músicas e cantorias ou instrumentos sendo alimentados por uma trilha de fundo. Além de chamar atenção do telespectador para aspectos importantes do filme que não são mostrados diretamente apenas pela imagem. 

O filme, em um contexto geral, é muito difícil de ser esquecido, por conta de todos os detalhes já mencionados e os não mencionados também. Na verdade, uma história de amor que é completamente recíproca e que é cruelmente interrompida é difícil de ser tragada e esquecida. Temos em Desejo e Reparação uma história realmente repleta de desejos e tentativas de reparações; temos o demonstrativo de o que é viver toda uma vida presa na culpa pelas consequências de suas ações. 

Pequenas mentiras podem destruir vidas e grandes histórias.



Título Original: Atonement

Diretor: Joe Wright

Elenco: Keira Knightley, Saoirse Ronan, James McAvoy, Romola Garai, Vanessa Redgrave, Juno Temple, Benedict Cumberbacth, Ailidh Mackay, Alex Noodle, Alfie Allen, Alice Orr-Ewing, Angel Witney, Anna Singleton, Antony Minghella, Ben Harcourt, Ben Webb, Billy Seymour, Bonnie Witney, Brenda Blethyn, Bronson Webb, Bryony Reiss, Catherine Philps, Charlie Banks, Charlie von Simson, Craig Leonard, Daniel Mays, Elliott Francis, Emily Thomson, Feliz von Simson, Georgia Oakley, Gina McKee, Harriet Walter, Ian Bonar, Jack Harcourt, Jade Moulla, James Fiddy, Jamie Beamish, Jay Quinn, Jérémie Renier, John Normington, Johnny Harris, Julia West, Katy Lawrence, Kelly Scott, Leander Deeny, Lionel Abelanski, Madeline Crowe, Mark Holgate, Matthew Forest, Michelle Duncan, Michel Vuillermoz, Neil Maskell, Nick Bagnall, Nonso Anozie, Oliver Gilbert, Olivia Grant, Patrick Kennedy, Paul Stocker, Peter O'Connor, Peter Wight, Richard Stacey, Roger Evans, Ryan Kiggell, Sarah Shaul, Scarlett Dalton, Tilly Vosburgh, Tobias Menzies, Tom Barker, Tom Rooke, Vivienne Gibbs, Wendy Nottingham

Sinopse: Aos 13 anos, a jovem Briony (Saoirse Ronan/Romola Garai) já demonstra ter um grande talento como escritora, principalmente por sua intensa criatividade. Um dia, ela pensa ter visto sua irmã mais velha, Cecília (Keira Knightley), sendo assediada por Robbie (James McAvoy), o filho da governanta de sua casa. Ela fica em silêncio até o dia em que uma prima é estuprada. Levada por sua imaginação fértil, Briony tem certeza de que foi o jovem Robbie e o acusa. O rapaz é preso, mas Cecília está apaixonada por Robbie e é a única que não acredita na acusação de Briony.


Trailer:


Galeria de Imagens:















Se você curtiu, não esqueça de deixar seu comentário e nos acompanhar em nossas redes sociais. Até a próxima!

HELEN SANTOS

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário