Crítica: Ray Donovan - 5ª Temporada (2017, David Hollander e outros)


A 5ª temporada nos presenteia com uma história mais madura e cruel, mostrando a complexidade dos personagens, que, até então, achávamos que conhecíamos. Ray Donovan entrega uma temporada sombria e solitária, muito diferente do que conhecemos até aqui. Vem conferir a crítica dessa excepcional série!



LEMBRANDO QUE CONTEM SPOILERS!

Se você acompanha a série desde o início, então sabe que o personagem de Liev Schreiber, não é fácil de se compreender. Ele é misterioso, sério e tem um senso de moralidade bem irregular, para dizer o mínimo, mas uma coisa nós sabemos com certeza, ele adora ter controle sobre as coisas e pessoas, porque ele é bom nisso e, querendo ou não, é o seu trabalho. Entretanto, ao descobrir que sua esposa Abby (Paula Malcomsol) está doente, ele começa aos poucos, perder o controle de tudo, inclusive de si mesmo, e é aí que eu diria que a série dá uma guinada totalmente diferente das temporadas anteriores. 


Sem meias palavras, Paula Malcomsol entrega sua melhor atuação até hoje. Por vezes, apenas com um olhar e suas feições, já é mais do que o suficiente para entender e enxergar seu sofrimento, o pesar de sua personagem morrendo de câncer, tendo que lidar com a família, e principalmente com Ray, que de maneira egoísta, não quer deixar que ela vá e tenta de todas as formas um novo tratamento, não importando a que custo. 



Apesar de todas as perdas e as dificuldades que ele teve, perder Abby mexeu com tudo o que ele tinha. Ray perdeu muitas pessoas na vida, perdeu a mãe, a irmã, a esposa e agora a si mesmo. E sua única forma de expressar a dor é afastando todos ao seu redor. Ele sofre em todos os episódios e precisa lidar com o luto e com os problemas que seu emprego o agrega. Solidão acaba se tornando uma constante. Pessoalmente, não sou fã de flashback, porém, a série as encaixa perfeitamente na narrativa, construindo a história do presente e nos mostrando aos poucos o que precisamos saber do passado. 



Esse ano veio para desconstruir todo o estereótipo que tínhamos de Ray e de sua personalidade. Veio para dar um choque e mostrar que coisas ruins também podem acontecer com pessoas boas e que não há nada a se fazer além de aceitar. Todo o controle que o personagem tinha cai por terra quando Abby decide morrer, deixando-o sem saber o que fazer em seguida. Apesar de todos os problemas, Abby era seu porto seguro, e sem ela, Ray ficou a deriva. 


O elenco da série é de tirar o chapéu, a evolução de todos os personagens é incrível e surpreendente. Ray Donovan é uma série crua e fria. Sem medo de mostrar o lado feio e vazio da sociedade e do próprio ser humano. Mostra do que somos capazes e quem é a pessoa ao lado quando não estão observando. Sem julgamentos e moralmente discutível, conhecemos o dia a dia de Los Angeles, todos seus lados, desde as estrelas e ricaços, até os traficantes de drogas e as pessoas comuns, presas no intermediário dessa vida, tendo que se adaptar para sobreviver. Apesar de parecer a mesma história em todas as temporadas, a trama consegue se renovar a cada ano e entregar um roteiro de qualidade e surpreender o espectador todos os anos, nesse em especial vemos conflito, luto, tentativa de superação e claro, violência. Não se engane pelo que você pode ter lido na internet sobre essa temporada, acredito que a negatividade das pessoas foi pelo simples fato de colocarmos Ray, o todo poderoso, em uma situação humana, da qual, ele tinha um poder nulo. Nos acostumamos com uma narrativa e temos uma reviravolta surpreendente, se você ainda não viu, diria para pegar um dia e assistir. Vai valer cada minuto do seu tempo.


Título Original: Ray Donovan

Diretores: David Hollander, John Dahl, Michael Uppendahl, Carl Franklin, Daisy Von Scherler Mayer, Stephen Williams, Tucker Gates, Zetna Fuentes

Elenco:
Liev Schreiber, Dash Mihok, Eddie Marsan, Jon Voight, Paula Malcomsol, Katherine Moenning, Steven Bauer, Kerris Dorsey, Pooch Hall, Devon Bagby, Graham Rogers

Sinopse:
A série sobre o “consertador” profissional de problemas de celebridades rendeu Globo de Ouro para Jon Voight, que faz o pai do protagonista, além de duas indicações ao Emmy tanto para Voight quanto para Liev Shcreiber, que interpreta Ray Donovan.

Trailer:

 

Concorda com a crítica?

Comente! Compartilhe! :) 

Natália Vieira

Gosto de filmes e sou viciada em séries e música boa. Não tem muito o que dizer depois disso.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário