Crítica: The Post - A Guerra Secreta (2017, de Steven Spielberg)


Escândalos são assuntos que sempre estão à tona, principalmente quando citamos a maior potência mundial, os EUA. Já vimos em alguns filmes o que The Post – A Guerra Secreta se encarrega, como por exemplo, e o tão recente como bem-sucedido, Spotlight - Segredos Revelados. E no caso do primeiro, o assunto é o escândalo envolvido na famosa guerra do Vietnã. 


The Post (vou citá-lo apenas pelo nome original) tem uma tarefa que, apesar de ser simples, pode ser bem árdua. Como passar a emoção de ter algo que compromete o seu país em mãos e envolver o espectador? Sendo que tudo não passa de conversas, reuniões e discussões?



Pois é, felizmente Steven Spielberg cumpre bem essa tarefa. O filme já começa bem mostrando alguns retratos da guerra, e dando motivos a tal vazamento de informações, que no futuro gerou o escândalo tratado no filme. Temos ótimas construções, ótimos motivos e ótimos fios de história, mas apesar desse bom começo, o filme não se segura. 

O primeiro ato começa e se desenvolve bem, mas no final dele, e no começo do segundo, sai do ritmo proposto no início. O filme simplesmente para pra se desenvolver "melhor" e dar o conflito necessário na trama, porém esquece de marcar a continuidade do que estava carregando. Basicamente saímos de uma coisa interessante e que vale o ingresso que gastamos, para conversas e mais conversas (uma coisa que do jeito que foi colocada se tornou extremamente maçante), se aquela parte do filme fosse cortada teria sido muito melhor, mesmo sendo presente a falta desses minutos por diálogos e acontecimentos x. 



Mas, apesar disso, o filme não é ruim, e nem de longe. Aliás, como ele se ergue e envolve é magnífico. Se estavam sentido a falta de um certo Spielberg que foi perdido nos últimos anos, vocês o encontrarão aqui, não totalmente, é evidente certos deslizes, mas quando eles não ocorrem só resta aproveitar a obra em tela.

Meryl Streep está fascinante, realmente merece a indicação ao Oscar, faz muito bem uma mulher dividida e deslocada que resolve parar de se relutar. Tom Hanks está ótimo também, mas essa atuação, apesar de ser excelente, não é algo novo no currículo do mesmo. De resto, temos um ótimo elenco, que aliás, para os seriadores será uma espécie de "crossover impossível de séries". 



Basicamente, temos um excelente filme que só tem um erro que, infelizmente, pesa, mas que não altera muito na qualidade da obra final. Spielberg voltou, mas ainda não temos a sua volta total. Excelente e recomendável a todos os públicos.


Título Original: The Post

Diretor: Steven Spielberg


Elenco: Meryl Streep, Tom Hanks, Alison Brie, Sarah Paulson, Bob Odenkirk, Carrie Coon, Zach Woods, Bradley Whitford, Matthew Rhys, David Cross, Bruce Greenwood, Tracy Letts, Michael Stuhlbarg, Jesse Plemons, Jessie Mueller.

Sinopse: Kat Graham (Meryl Streep) é a dona do The Washington Post, um jornal local que está prestes a lançar suas ações na Bolsa de Valores de forma a se capitalizar e, consequentemente, ganhar fôlego financeiro. Ben Bradlee (Tom Hanks) é o editor-chefe do jornal, ávido por alguma grande notícia que possa fazer com que o jornal suba de patamar no sempre acirrado mercado jornalístico. Quando o New York Times inicia uma série de matérias denunciando que vários governos norte-americanos mentiram acerca da atuação do país na Guerra do Vietnã, com base em documentos sigilosos do Pentágono, o presidente Richard Nixon decide processar o jornal com base na Lei de Espionagem, de forma que nada mais seja divulgado. A proibição é concedida por um juiz, o que faz com que os documentos cheguem às mãos de Bradlee e sua equipe, que precisa agora convencer Kat e os demais responsáveis pelo The Post sobre a importância da publicação de forma a defender a liberdade de imprensa.

Trailer:



Gostou da crítica? E do filme? Ainda não viu? Ansioso? Diz pra gente nos comentários :D

Vinícius Dellvale

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário