Crítica: Nossas Noites (2017, de Ritesh Batra)



Nossas Noites não está aqui para mostrar nenhuma paixão louca movida pelo desejo desenfreado de duas pessoas apaixonadas, tampouco para mostrar a construção de uma história como a maioria de todos os romances que já estamos cansados de assistir: conflitos do início ao meio com um final feliz. Aqui nós simplesmente vemos a vida passar, com seus próprios nuances, sem muitos exageros. Esse filme é simplesmente... a vida!

Quando somos jovens não costumamos pensar que iremos envelhecer, muito menos em quem estará ao nosso lado todos os dias quando ficarmos velhinhos. Não trata-se somente - ainda - de estar casado, mas sim, de ter alguém ao lado que realmente se tenha um bom e sadio convívio, e essa pessoa não necessariamente precisa ser um esposo ou esposa; pode ser um amigo, um parente, ou até mesmo um vizinho, como optou Addie!

Viúva há muitos anos e cansada de se sentir solitária, Addie, certo dia, decide fazer uma proposta ao seu vizinho de muitas décadas, Louis, que também é viúvo e, ao observá-lo, é claramente notável que ele é tão solitário quanto ela. A proposta nada mais é que Louis indo passar suas noites com Addie, e como ela mesma diz, isso não tem nada a ver com sexo, pois já perdeu o interesse nisso há muito tempo, mas sim, ter com quem fazer uma refeição ou somente ter com quem conversar até o sono bater. 


Fiquem tranquilos que o dito acima não é nenhum spoiler, o filme se desenvolve dessa premissa e a partir daí, você vai adentrar em uma relação de amizade, carinho e cuidado, assim como deve ser quando estamos no fim da vida.

Embora que a fotografia e trilha sonora do filme sejam tão delicadas quanto sua história, não são elas, nem um plot twist de arrepiar, que fazem valer as quase duas horas de filme, e sim, por toda a delicadeza e verdade que há tempo não vemos no cinema. A conexão de Jane Fonda (Descalços no Parque, A Sogra, Grace and Frankie) e Robert Redford (Descalços no Parque, Leões e Cordeiros, Um Lugar Para Recomeçar) é outro ponto a ser mencionado, pois a química que os atores têm um com o outro trazem uma química ainda maior para nossos personagens. A sensibilidade e delicadeza que traz é o inverso de quaisquer clichês.

Como dito anteriormente, Nossas Noites escapa dos grandes temas e acontecimentos dramáticos e comerciais e volta sua atenção para a simplicidade do cotidiano; especialmente no cotidiano das pessoas idosas, onde toda explosão, vitalidade e impulsividade ficaram no passado, restando somente a calmaria e o companheirismo. 

Esse filme é sobre a importância de se ter alguém, independente de quem.


Título Original: Our Souls At Night

Direção: Ritesh Batra

Elenco: Jane Fonda, Robert Redford, Andy Hankins, Audrey Walters, Bruce Dern, Iain Armitage, Judy Greer, Leana Lewis, Matthias Schoenaerts, Phyllis Somerville, Ted Maritz.

Sinopse: Addie Moore (Jane Fonda), é uma viúva solitária que decide certa noite convidar o vizinho, também viúvo, Louis Waters (Robert Redford) para dormir em sua casa. A proposta inusitada, que tem por objetivo ajudar os dois a vencer a insônia, a princípio deixa o professor aposentado sem reação, mas conforme eles colocam o projeto em prática uma bonita relação de cumplicidade floresce.

Trailer:


HELEN SANTOS

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário