Crítica: Big Little Lies (2017, de David E. Kelley)




Sempre fui da opinião que ser mãe deve ser uma das tarefas mais difíceis na vida de uma mulher. Quando esta mulher enfrenta alguns outros bons dilemas, somente vivendo com grandes pequenas mentiras para suportar todo o peso que a vida pode ter. 


Na minissérie criada por David E. Kelley (das séries O Desafio e Ally McBeal: Minha Vida de Solteira), somos apresentados a cinco mulheres que se dividem no exercício de mãe, esposa e seus desejos. Para os amantes de séries, isso soa familiar certo? Certo! Já fomos apresentados a algo parecido em Desperate Housewives, claro que com uma pegada muito mais cômica, mas, ainda assim, com uma proposta parecida, inclusive em seu início. Em Big Little Lies, somos introduzidos na cidade de Monterey, Califórnia, onde um assassinato aconteceu durante um baile beneficente. Não sabemos quem morreu, como morreu e tampouco quem matou.

A partir desta premissa, somos apresentados a algumas testemunhas que fazem comentários sobre quais seriam seus suspeitos para o crime, e é quando começamos a conhecer as nossas personagens principais até a história evoluir ao fatídico dia do crime. Não se enganem, não é de mistério que este excelente drama vive, até mesmo porque em um dado momento as pistas estão sobressalentes aos olhos do espectador com a curiosidade mais aguçada. A minissérie se sustenta mesmo ao longo dos seus 7 episódios pelo ensaio ao psicodrama e desconstrução total do sonho americano que faz. São personalidades completamente distintas, e que conseguimos diferenciá-las não só pelo excelente trabalho das atrizes, mas também, por todos os elementos do design de produção e roteiro da obra: a casa, o emprego, o carro, os maridos etc., e que por algum motivo, que conhecemos no decorrer dos capítulos, sobrevivem mais pelo status que pela felicidade. Será que já vimos algo parecido aqui também? Quem assistiu Beleza Americana, sim.


No entanto, o que mais chama atenção é a insistência da mensagem de que os pais estão criando mini versões de si mesmos. Na entrada de cada episódio, temos a apresentação dos pais e crianças na festa repetindo quase que os mesmos gestos, e em um determinado episódio, somos apresentados a um diálogo que questiona abertamente esta necessidade dos pais: “Você quer que eu seja o que você nunca conseguiu ser”.

Reparando nesta premissa do criador de deixar latente ao espectador que os filhos são reflexos dos pais, um outro mistério da série em relação a uma criança que supostamente cometia bullying físico em alunas, não poderia ter uma resolução diferente, fechando de forma brilhante uma das mensagens mais fortes desta minissérie. 

O elenco recheado de estrelas é um delírio a parte. Reese Whiterspoon (De Volta Para Casa), Nicole Kidman (Lion – Uma Jornada para Casa) e Shailene Wodley (Divergente), formam um trio de amigas, que preocupadas com a novata Jane Chapman (Wodley) na cidade, praticamente se unem contra Renata Klein, vivida pela sempre ótima Laura Dern (A Culpa é das Estrelas). O fato de todas estarem excelentes em seus papéis e roubarem a cena não é surpresa. O que surpreende mesmo é a força dos coadjuvantes, liderados por Alexander Skarsgard (A Lenda do Tarzan), numa das composições mais complexas que eu me recordo para um personagem com tal personalidade.


Dificilmente veremos uma minissérie tratar de tantos assuntos ao mesmo tempo e com uma notória evolução como acontece aqui. Temos violência doméstica, infidelidade motivada por infelicidade, consequências psicológicas pós-estupro, criação dos filhos, bullying, como lidar com o poder, quanto nos distanciar dos nossos sonhos pode ser extremamente perigoso e principalmente a gentileza disfarçada, impossível esquecer uma das frases mais impactantes ditas por Celeste Wright (Kidman) "Aqui em Monterey somos gentis até a morte". Sinceramente não me recordo de nada parecido trabalhado com esta profundidade em apenas 7 episódios.


Título Original: Big Little Lies

Direção: Jean-Marc Vallée

Elenco: Reese Whiterspoon, Nicole Kidman, Shailene Woodley, Alexander Skarsgard, Adam Scott, Zoe Kravitz, James Tupper, Jeffrey Nordling e Laura Dern.

Sinopse: Big Little Lies conta a história de três mães que se aproximam quando seus filhos passam a estudar juntos no jardim de infância. Até então, elas levam vidas aparentemente perfeitas, mas os acontecimentos que se desenrolam levam as três a extremos como assassinato e subversão.

Trailer:



Já assistiu a minissérie? Concorda com a crítica? Não deixe de contar pra gente o que achou ;-)

João França

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário