Crítica: Extraordinário (2017, de Stephen Chbosky)


O primeiro dia de aula nunca é fácil, ainda mais quando as pessoas te veem de uma forma diferente. Baseado no Best-seller de mesmo nome escrito por R. J. Palacio, Extraordinário conta a história de August (Jacob Tremblay), um menino que nasceu com uma síndrome genética, que lhe causou uma deformidade facial, frequentando a escola pela primeira vez. Ao ser taxado como não sendo uma criança comum até por si próprio, Auggie mostra que é tão normal como qualquer um.

Dirigido por Stephen Chbosky (As Vantagens de Ser Invisível), ele opta por uma filmagem simples, mas sempre com um significado. Alguns exemplos são os da escolha de utilizar o Zenital para retratar o estado de inferioridade a que o August se sente no primeiro dia de escola ou ao enquadramento em que se encontra Nate Pullman (Owen Wilson) chorando na mesa. O longa é recheado de clichês, mas ao contrário de outras obras, aqui eles funcionam e muito bem.


Jacob Tremblay traz mais uma brilhante atuação. Emocionando no excelente O Quarto de Jack, ele repete a dose em Extraordinário, interpretando Auggie. Jacob consegue demonstrar todos os sentimentos apenas com seu jeito de falar e seus olhares; ele consegue sentir e transpassar cada sensação de seu personagem, além de conquistar o público com seu carisma.


Izabela Vidovic não fica atrás trazendo uma excelente atuação na personagem Via, sendo a mais complexa de toda a trama. Via sente a falta de atenção dos pais, que estão sempre ‘orbitando’ Auggie, mas entende o motivo. Em uma de suas lembranças, temos a presença de Sônia Braga, colhendo os frutos do ótimo e injustiçado Aquarius, interpretando a avó de Via.


O filme se mantém bastante fiel ao livro, tirando alguns pequenos detalhes adaptados, como a falta do aparelho auditivo, a troca do filme assistido no retiro da escola ou ao fato de Auggie ainda utilizar seu capacete de astronauta (nesse caso enriquecendo a narrativa do longa). Há uma divisão de “capítulos” demonstrando as diferentes visões de muitos dos personagens referente ao assunto. Foi extraída grande parte dos acontecimentos do livro, se tornando uma grande adaptação.

Essa extração acaba por trazer eventos que acabam se tornando aleatórios por terem sido pouco explicados ou até mesmo sem explicação, algo que poderia ser melhor aproveitado com uns 10 minutos a mais de filme divididos nessas ocasiões demonstrando sua origem.


Extraordinário é uma história de aceitação, superação e compaixão demonstrada de maneira sutil. Surge o filme mais bonito de 2017 fazendo jus ao seu nome, com grandes atuações e personagens cativantes sem estarem ligados a estereótipos, sendo eles nunca representados por apenas bom ou ruim, tendo sempre seu ponto de vista entendível e justificado. Extraordinário é muito mais do que uma bela história, é uma lição de vida trazendo assuntos muito importantes, e que deve ser assistido por todos que tiverem a oportunidade.


Título Original: Wonder

Direção: Stephen Chbosky

Elenco: Julia Roberts, Jacob Tremblay, Owen Wilson, Izabela Vidovic, Sônia Braga

Sinopse: Auggie Pullman (Jacob Tremblay) é um garoto que nasceu com uma deformação facial, o que fez com que passasse por 27 cirurgias plásticas. Aos 10 anos, ele pela primeira vez frequentará uma escola regular, como qualquer outra criança. Lá, precisa lidar com a sensação constante de ser sempre observado e avaliado por todos à sua volta.


                                              TRAILER:


Leonardo Cossenza

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário