Fica a Dica da Semana: The Good Doctor

Essa semana vamos ver outra série, que apesar de lançada há pouco tempo, já está ganhando o público. A indicação de hoje é da Helen Santos. Continue lendo e confira essa história!



A dica da semana é a série The Good Doctor, que nem teve sua primeira temporada finalizada ainda e já está sendo indicada em um site de cinema (para você ver o tanto que é boa!). Além disso, só para você ter um pouquinho mais de certeza que realmente vale a pena assisti-la, a série, que recentemente estreou, se tornou o drama médico mais assistido da ABC. Não entendeu o que isso significa? Explico. ABC também é o canal que exibe nada mais, nada menos, que Grey's Anatomy, e, caso você também não saiba, é uma das séries médicas mais assistidas e famosas dos últimos tempos. 


A série vai mostrando a vida do Dr. Shaun Murphy, um cirurgião residente com autismo, interpretado por Freddie Higmore (Bates Motel, O Som do Coração, A Arte da Conquista). Partindo da premissa onde se tem um homem autista que recém se formou na faculdade de medicina e começou a fazer residência para tornar-se cirurgião, é quase óbvio que vamos vê-lo enfrentando preconceitos diariamente, mesmo tendo (e todos sabendo) inteligência espacial e memória fotográfica. Mesmo com sua enorme dificuldade de interagir socialmente e conseguir acessar suas emoções, seus atributos e memórias do passado fazem com que ele seja um médico excepcional. Com toda sua honestidade e franqueza, ele lida com os preconceitos de forma majestosa, fazendo com que aos poucos vá criando laços com as pessoas ao seu redor.


A série tem estilo de filmagem que liga uma cena na outra, diferentemente de outras, onde a cena simplesmente é cortada e passada para a próxima sem nenhum deslize. Outra coisa muito interessante, é os esquemas do corpo humano que aparecem na tela em todos os episódios quando Dr. Murphy está pensando. Junto a isso, tem uma fotografia que faz bem aos olhos e uma trilha sonora envolvente. 


Sabe-se que o mundo é difícil para muitas pessoas, e para quem tem autismo, não é diferente. Muitos pais lutam (e muitas vezes na justiça) para que seus filhos sejam aceitos nas escolas/faculdades, devido sua condição, mas muitos são forçados a ficar com a palavra final: "perdão, mas seu filho não faz o perfil da escola". Pensando nessas pessoas autistas e na inclusão social destas, a série acertou em abordar esse tema. Só esperamos que ela trate mais do autismo e menos de medicina, pois, embora seja uma série médica, seu primordial intuito é mostrar a inclusão de um autista no mercado de trabalho, independente de qual seja.

TRAILER:



Curtiu?! Deixe aqui nos comentários o que você achou da premissa da série!

Natália Vieira

Gosto de filmes e sou viciada em séries e música boa. Não tem muito o que dizer depois disso.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário